A Venezuela é um país que oferece diversos atrativos, desde as famosas montanhas tepuis ao sul até o vasto mar do Caribe e suas ilhas paradisíacas ao norte do país. Uma das melhores formas e mais baratas de se entrar no país é por terra através da fronteira no estado de Roraima.

Vantagens de ir pela fronteira

Pegar um voo direto para Caracas é muito mais prático e rápido, porém os voos são caríssimos, pois Caracas está mais perto do Caribe. Visando economizar mais ir por terra é uma das melhores escolhas, seja de ônibus, carro ou até mesmo a pé. O bom de entrar por ali começa com o câmbio, claro câmbio paralelo, visto que o câmbio oficial é uma mixaria e eu acho que em Santa Elena de Uairén (primeira cidade venezuelana após a fronteira) nem tem casa de câmbio. Outra vantagem de entrar por ali são os voos e ônibus que saem de Santa Elena para outras cidades da Venezuela, pois as passagens são baratíssimas.

Como ir até a fronteira da Venezuela?

Bom, irei comentar aqui a forma com que usei para chegar até a fronteira do Brasil com a Venezuela. Primeiro é preciso ir para Boa Vista, capital de Roraima que fica a mais de 200km de distância da fronteira. Lá você tem duas opções de transporte, os ônibus que vão até a cidade brasileira de Pacaraima (que fica na fronteira) ou pegar uma espécie de táxi fretado até lá. Aconselho ir de táxi pois é muito mais rápido. Eles saem do Terminal Intermunicipal de Caimbé e cada pessoa paga em torno de R$30,00 a R$50,00 pela viagem. O táxi só sai quando completa o número total de passageiros.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Lado brasileiro da fronteira

Chegando em Pacaraima o táxi ira lhe deixar bem do ladinho da Receita Federal, ali você pode passar tranquilamente e ir caminhando até chegar ao posto da Polícia Federal para carimbar no seu passaporte a saída do Brasil. Não sei porque mas essa foi a primeira vez que carimbei saída do meu próprio país. Caso você não possua passaporte não tem problema, você pode apresentar apenas o seu RG com validade mínima de 10 anos e eles lhe darão uma ficha que deve ficar com você até deixar o país. Depois de dar saída no lado brasileiro você vai ter que caminhar quase 1km até chegar ao posto venezuelano do SENIAT.

Percurso até o outro lado

Da Polícia Federal até o SENIAT, que é a aduana venezuelana são quase 1km, e atravessar isso andando com o sol de meio dia pode ser tenso. Nesse percurso vão estar os brasileiros que abastecem seus carros com a gasolina mais barata. Se engana quem pensa que é só entrar na Venezuela e abastecer, brasileiros estão proibidos de abastecer dentro do país, somente podem abastecer em um único posto que fica na fronteira, já pode imaginar as filas né!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nesse trajeto também tem a galera que faz câmbio, e são muitos, se você atravessar ali andando com certeza será abordado. Compensa trocar o dinheiro ali mesmo, pois a cotação é bem melhor do que em Santa Elena ou Caracas. Quando fui consegui Bs27,00 por R$1,00, com a crise na Venezuela você deve conseguir bem mais. Lembrando que ali não é cambio oficial e sim câmbio paralelo, fazê-lo é proibido, porém é mais vantajoso e bem mais fácil e seguro que fazer em Caracas, onde a circulação de notas falsas são bem maiores e se você for pego por alguma autoridade pode ser preso.

Lado venezuelano da fronteira

Caminhando um pouco mais você chegara ao SENIAT e já se deparará com os militares venezuelanos armados até os dentes. Dá um pouco de medo no começo, pois são muitas armas e pelo fato da polícia venezuelana ser uma das mais corruptas do mundo. Há vários casos de viajantes que estavam entrando ou saindo do país e foram abordados pelos policiais na fronteira, tiveram que ficar apenas de roupas intimas e alguns pertences roubados, como roupas e eletrônicos. Não pense que chegar em um aeroporto é mais seguro, ouvi relato de uma menina que chegou no país pelo Aeroporto de Caracas e teve boa parte da mala saqueada por policiais, inclusive seu mini secador de cabelos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na fronteira me deu até um medo pois eu estava com câmeras, notebooks e outros eletrônicos, mas foi tudo tranquilo, tanto pra entrar quanto pra sair. Ali no SENIAT tem tipo um trailer pequenininho e é lá que você registra sua entrada no país. Eles fazem algumas perguntas e só. Do SENIAT você pode pegar um táxi venezuelando que pode sair entre Bs50,00 a Bs200,00 (menos que R$15,00) até o centro de Santa Elena de Uairén, cidade de onde partem tours para o Monte Roraima e transportes para Ciudad Bolivar, Caracas e outras principais cidades venezuelanas, inclusive Isla Margarita e Los Roques, grandes principais lugares no Caribe venezuelano.

Voltando ao Brasil

Voltei bem cedinho, era umas 8h da manhã e as fronteiras já estavam abertas. Peguei um táxi em Santa Elena e pedi que me levasse até o SENIAT. Chegando lá o militar da fronteira olhou bem o táxi, ficou me encarando um pouco, olhou para minha mochila, mas no final me liberou e não perguntou nada. Voltei ao trailer do SENIAT, carimbei minha saída do país, caminhei até o lado brasileiro e na Polícia Federal eu carimbei novamente a entrada no Brasil, simples e rápido. Em Pacaraima eu peguei um táxi da mesma empresa que usei para ir e voltei para Boa Vista. No percurso de volta ainda fui surpreendido por uma manifestação de índios, por isso tive que deixar o táxi que estava, atravessar a barreira a pé e pegar outro táxi que estava do outro lado.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Não existe segredo para atravessar a fronteira, basta ficar atento a tudo. Vale lembrar também que o registro nas fronteiras nas fronteiras não precisa ser feito caso você vá passar menos de 24h no país. Nesse caso basta ficar com a documentação em mãos caso lhe parem. Lembre-se também que as fronteiras abrem às 08h e fecham às 18h e que a Venezuela tem um fuso horário de 30 minutos, ou seja, a fronteira venezuelana abre às 07h30 fecha às 17h30. Planeje-se para chegar no horário.

Comente pelo Facebook

comentários