0
Shares
Pinterest Google+

Em mais uma de minhas aventuras por ai eu acabei parando neste lugar.. chão branco, céu azul e uma fina camada de água pra dar um toque final, isso ai é o famoso Salar de Uyuni ou Deserto de Sal conhecido também como “espelho do céu“, isso porque tudo reflete nele devido a camada de água, e esse lugar fica na Bolívia!

Antigamente o Salar era um lago salgado e pré histórico chamado Michin, quando o lago secou, deixou todo o sal. O Salar é enorme, um tamanho aproximado a 12.000Km² dando pra ser visto do espaço e é conhecido como a maior planície salgada do mundo . Além da área ser grande e profundidade de sal é imensa, são 120 metros de sal pra baixo e estimas-se que pode se retirar dali o equivalente a 10 bilhões de toneladas de sal. Muita gente ali vive do garimpo.

Como chegar ao Salar de Uyuni?

Existem diversas formas de se chegar até o Salar de Uyuni, a primeira e a que eu usei foi indo de ônibus desde Santa Cruz de La Sierra. São dois dias de estrada parando em Sucre e Potosí até chegar a Uyuni. Não lembro bem o valor das passagens mas eram bem baratinhas.

A outra opção é ir de avião. Pelo que eu sei saem voos fretados de La Paz para Uyuni. São empresas pequenas que levam, então é bom ficar atento aos horários e reservas, pois eles podem mudar a qualquer momento.

O que levar para o Salar de Uyuni?

O único item que eu acho indispensável de se levar ao Salar é água, e muita viu. Quando fui levei se não me engano alguns galões de 5 litros, tudo para não faltar. Leve também alguns petiscos como biscoitos e salgadinhos, só para enganar a fome, pois as principais refeições estão inclusas no tour.

Com relação a roupas, vai depender da época do ano que você for. Fui no inverno, e admito que não levei nada de roupas específicas como fleece, corta vento, anorak. Levei roupas de frio que comprei e julguei serem fortes ainda aqui no Brasil. De fato, uma calça moletom e uma tactel, além de uma camiseta, uma blusa de frio bem grossa, cachecol, touca, luvas e meias vão segurar o tranco durante o dia, como foi comigo. Tive apenas um probleminha durante a noite, uma das mais terríveis da minha vida, que nem os 2 cobertores do hotel de sal foram suficientes para aguentar o frio extremo, mas também não morri. Então roupas de frio ficam a seu critério.

Tour de 2 dias pelo Salar de Uyuni

O turismo no Salar de Uyuni é imenso, gente do mundo todo vai até lá para conhecer o lugar. Geralmente as pessoas fazem um tour de 3 dias pelo deserto em um 4×4 hospedando-se em hotéis de sal pelo caminho. Eu tive que fazer apenas 2 dias de tour pois na época havia uma nevasca atingindo a região e se arriscássemos poderíamos correr o risco de ficar presos na neve, optamos então por fazer 2 dias e no fim que o guia nos deixasse na fronteira com o Chile

Fizemos o passeio pela Colques Tour num valor de B$466,00 (valor referente ao ano de 2011). Quem foi nosso guia foi o Luís, um senhor muito atencioso e sua filha Mari que nos ajudava nas refeições.

1º Dia de Salar

No nosso primeiro dia encontramos o Luís na agência dele, preparamos nossas coisas e o carro e partimos. A primeira parada é no Cemitério de Trens, uma antiga ferrovia que ligava Uyuni as outras cidades, para a pesada exploração de minério da região, depois de uma crise na década de 40 a ferrovia fechou, restando apenas as lembranças. No lugar tem uma grande carcaça de trens, que torna a paisagem bem interessante. Dá pra subir nos trens pra tirar fotos e assinar seu nome.

Em seguida nós seguimos para o Salar. A chegada lá é impressionante, pois o chão muda de cor, do marrom para o branco. Chegamos em uma área que parecia mineração de sal, haviam uns montinhos de sal e o Luís disse que não podíamos subir mas que podia tirar fotos. É realmente lindo esse primeiro contato e que só pode ser feito usando óculos escuro, sem isso é impossível manter os olhos abertos por muito tempo.

Tiramos algumas fotos e partimos para o almoço, o Luís nos levou pra almoçar num restaurante/hotel totalmente feito de sal, ele se chama Hotel Playa Blanca, hoje ele não funciona mais como hotel, apenas como um dos vários pontos turísticos do Salar, todos fazem uma parada pois é lá que está um ponto com várias bandeiras de vários países. Nesse hotel nós comemos uma comidinha caseira bem boliviana que estava uma delícia, um grão que parecia arroz mas se chamava Quinua, carne de lhama, saladinha e refrigerante. Do lado de fora dessa construção de sal fica o famoso lugar com várias bandeiras de muitos países, provavelmente de viajantes que por ali passaram e deixaram sua marca.

Após o almoço a viagem é longa, são algumas horas seguindo para dentro do deserto. Aos poucos as montanhas vão desaparecendo e a gente se pega no meio daquela imensidão azul, pois a camada de água refletia o céu azul e não tinha muito como diferenciar onde acabava o céu e começava o chão. Em um momento paramos e descemos para tirar algumas fotos e eu ficava cada vez mais sem palavras. Alguns minutos a mais de carro e chegamos a Isla Del Pescado, que é um pedacinho de terra no meio do deserto, dando a impressão que é uma ilha. A vegetação dela é bem diferente, são cactos, cactos milenares e gigantes, chegando até 9 metros de altura. A ilha é imensa e tem muita subida, pra entrar nela tem que pagar 15 bolivianos e depois fazer a trilha pra subir ao topo, devido a altitude ficamos muito ofegante mas nada que estrague a aventura, lá de cima a vista do Salar é de morrer, uma visão panorâmica sem fim.

Quando descemos o Luís estava afoito nos esperando, ele não queria que perdêssemos o pôr do sol. Rapidinho entramos no carro e seguimos por uns 10 minutos em um ponto que dava pra ver a despedida do sol e eu vou te falar, foi a coisa mais linda que eu já vi na minha vida, nada nesses anos todos viajando o mundo me fizeram sentir o que senti ali, nada me fez chorar como chorei naquele momento. Os efeitos provocados pelos reflexos são realmente lindos.

Ao cair da noite nós seguimos para um hotel totalmente feito de sal onde passamos aquela madrugada. Após o jantar, que foi muito bem servido e um chazinho que deixaria até dona Elizabeth com inveja e de ver o céu com uma quantidade absurda de estrelas, o desafio era suportar o frio de -16º onde minhas garrafas de água congelaram. Foi a pior noite da minha vida, apesar de estar com todos os agasalhos possíveis eu não consegui dormir em nenhum momento com frio.

2º Dia de Salar

Após o inferno de gelo da madrugada, “acordamos” bem cedinho para tomar café e seguir viagem. O dia estava lindo, céu limpo, vento fresco e frio, não podia reclamar de mais nada. Naquele momento já havíamos cruzado a parte que é de sal, dai pra frente seria desertão e poeirão puro. Seguimos para a primeira parada do dia, era a Galáxias 2 Estrelas, pouca gente vai lá, não fomos porque pegamos um caminho alternativo devido a nevasca dos últimos dias. A Galáxia 2 Estrelas é uma caverna com umas formações bem estranhas e bonitas, ela fica no meio do deserto e é administrada por um senhorzinho que vive sozinho ali. A entrada custa 20 Bolivianos, e é mais para ajudar o senhor que vive lá. Do lado da Galáxia está um antigo cemitério dos nativos que viviam ali há muitos anos atrás. Nesse cemitérios eles praticavam diversos rituais com folhas de Coca, por isso haviam muitos túmulos com crânios expostos rodeado de folhas de Coca.

Seguindo viagem nós passamos pelo “Ejercito de Piedras“, uma grande formação de pedras na vertical que se olhado de cima parece um grande exército pronto a atacar. O que deixa a visão mais interessante é o Vulcão Ollagüe ao funo. Ali nós paramos um pouco para tirar umas fotos e ir ao banheiro, depois prosseguimos viagem até chegar a Laguna Turquiri, uma lagoa semi-congelada e com uma beleza extrema e umas formações de pedra ao redor que foram esculpidas pelo vento, e que vento hein, do tipo congelante, que se batia no rosto doía. Ali nós almoçamos tranquilamente e descansamos um pouco.

Depois o Luís nos levou para conhecer a melhor parte, a neve! Era um grande vale totalmente gigante e nevado. Era a primeira vez que eu via aquilo na minha vida, então já deu pra perceber que fiquei que nem uma criança. Brincamos ali até dizer chega! No começo é bom correr e fazer peripércias na neve, mas depois cansa.

Dali o Luís nos levou para Estação Alvaroa em Ollagüe já na fronteira com o Chile. Lá um amigo dele que nós contratamos esperava a gente para nos levar a San Pedro de Atacama. Conhecer o Salar e seus desertos ao redor foi simplesmente sensacional. Está entre os lugares mais incríveis que já estive na minha vida e um dos poucos onde pude me sentir em outro planeta. A Bolívia apesar de um país pobre, reserva grandes e lindas atrações para as pessoas, vale a pena conferir.

Comente pelo Facebook

comentários

Post anterior

Uma visita a Vitória

Próximo post

O Oásis de Huacachina

68 Comments

  1. […] Salar de Uyuni […]

  2. claudia
    28 de junho de 2013 at 23:26 — Responder

    Gostei do seu relato. Em qual mês vc foi e ano??

    • Tô Longe de Casa
      29 de junho de 2013 at 01:58 — Responder

      Obrigado Claudia! Fui em julho de 2011!

  3. Emilene
    20 de outubro de 2013 at 15:47 — Responder

    Adorei!

  4. 25 de novembro de 2013 at 18:50 — Responder

    Bom dia ,
    Estive no Uyuni e deixei minha dimensão lá no blog :
    http://100dimensoes.blogspot.com.br/2013/11/salar-de-uyuni-lagoa-colorada-geiser.html
    Abs
    Josi Brignol

  5. Ana Maria Biezok
    15 de dezembro de 2013 at 19:14 — Responder

    Ola! Pode indicar a agencia que te levou? Esse motorista era bem atencioso?o carro bom? Amaria

    • 15 de dezembro de 2013 at 20:23 — Responder

      Oi Ana!

      Fui com a Coquesa Tours você pode encontrar ela na Calle Bolivar em Uyuni! O motorista era o Srº Luis, super atencioso e o carro dele era ótimo!

      Se quiser pode entrar em contato com ele pelo coquesatours@hotmail.com ou pelo (591-2)6933565.

      Espero que sirva! Boa Viagem!

      • Ana Maria Biezok
        16 de dezembro de 2013 at 08:45 — Responder

        Gracias! Muchas gracias.
        Eu nao costumo escrever das minhas viagens, só uma vez “Deus Salve a Russia “, ainda pode ser lida, eu acho. Mas se precisar de alguma informaçao, me escreva… Muitos lugares conhecidos no esquema sozinha, sem mochila mas com uma maleta bem pequena…

  6. 28 de janeiro de 2014 at 15:57 — Responder

    Leonardo, voce entrou por onde na bolivia para chegar em Uyuni?
    Estou pensando em entrar por Santa Cruz ou La paz, mas não sei ainda por onde é melhor..

    Obrigado!

    • 3 de fevereiro de 2014 at 23:46 — Responder

      Oi Fábio.. eu fui por Santa Cruz, por La Paz é a mesma distância de ônibus, a diferença é que em La Paz tem voos para Uyuni e Stª Cruz, até onde eu sei não tem!

  7. 2 de fevereiro de 2014 at 20:11 — Responder

    Oi Leonardo td bem?
    perguntinha, to querendo conhecer esses lugares tb, e queria saber ao total quando q vc gasto?

    • 3 de fevereiro de 2014 at 23:42 — Responder

      Oi Laressa, tudo jóia! Quando conheci o Salar eu estava viajando por 1 mês pela Bolívia, Chile e Peru, nesse período gastei R$2.400,00!

  8. Paula
    24 de fevereiro de 2014 at 21:04 — Responder

    Adorei seu post, estarei lá em maio, e fiquei com mais vontade de ir…Parabéns!!!
    Uma pergunta a bota precisa se impermeável por conta da água??

    • 25 de fevereiro de 2014 at 12:58 — Responder

      Paula, você vai amar, ainda não encontrei lugar na terra que possa ser igual aquilo! Bom, a minha bota não era impermeável e não entrou água, mas porque tive muito cuidado, em alguns pontos eu fiquei com medo de molhar pq a água tava até que alta… e se molhar o pezinho naquela frica é tenso!! Aconselho uma boa impermeável ou que tenha uma sola mais grossa e seja alta!

  9. 28 de fevereiro de 2014 at 12:49 — Responder

    olá leonardo, tudo bem? estou muito a fim de ir, mas até agora não achei companhia e é um problema sério isso. me diz … como é o tursimo lá, é perigoso para mulher? é dificil achar grupo por lá? estou pensando em procurar esse senhor, o Luis. Ele é confiável mesmo? Obrigada
    Iara

    • 1 de março de 2014 at 01:17 — Responder

      Oi Iara! Essa questão de lugar perigoso é muito relativo, qualquer lugar pode ser ou não, conheço algumas garotas que já foram sozinhas pra lá! Uyuni é bem pequena e turistica por causa do Salar, os casos mais perigosos que ouvi sobre a cidade foram de batedores de carteira, principalmente durante a noite.

      É moleza achar grupos por lá, sempre tem alguém indo sozinho e eles te encaixam em um grupo, só não garanto ser de brasileiros! Pode procurar o Luis sim, ele é super tranquilo e vai te ajudar por lá!

    • gustavo
      22 de setembro de 2014 at 03:27 — Responder

      oi, estou indo final de março, ou Abril, ate o Salar,. Vou de carro, saindo de Florianopolis, e seguindo pela Argentina ate Salta, atravessando Villazon, Bolivia, Salares, saindo pelo Atacama, devo descer depois ate a Patagonia, El Calafate.
      Se alguem se interessar, farei viagem economica, de carro e só.;
      Camionete, com espaço para tudo, conforto e segurança!
      Abraços; boas viagens;

      • 22 de setembro de 2014 at 12:23 — Responder

        Legal Gustavo, muito massa seu roteiro, só tenha atenção naquelas estradas no Deserto do Atacama, é muito fácil se perder ali. Abs e boa viagem.

      • 29 de setembro de 2014 at 03:10 — Responder

        Gustavo gostaria de saber sobre sua viajem e o roteiro teria como me add no face dadoduda fialho albrecht te aguardo la pois estou indo pra joinville em janeiro e quero fazer uma viajem blz

  10. Ana Paula Mota
    8 de março de 2014 at 14:00 — Responder

    Oi Leonardo…tô amando seu blog, pois estou planejando fazer o mesmo roteiro agora em Junho e você deu ótimas dicas!! Obrigada.
    Qual a probabilidade que você acha que tenho de ver o reflexo do céu no chão…você disse que isso só acontece quando chove ou neva, como vou em Junho não sei se estará frio suficiente!! Outra coisa…a mochila que você viajou foi só essa que aparece na foto? Você deixou bagagem em algum lugar ?? rss

    • 8 de março de 2014 at 14:56 — Responder

      Oi Ana, obrigado, quem bom que está gostando e ajudando também!

      Olha, acho que você tem uma grande chance de vê-lo alagado, quando fui em Julho ele estava completamente coberto de água, em Junho eu creio que esse efeito esteja começando, mas não posso afirmar, o clima no mundo anda muito doido, mas espero que você possa vê-lo assim!

      Eu fui com duas mochilas, uma cargueira de 75 litros e uma de ataque pequena. Durante o passeio no Salar eu levei todas porque não ia retornar para Uyuni. Mas caso você vá para o Salar e retorne para Uyuni, pode deixar suas coisas nos albergues, a maioria tem armário!

  11. Priscilla
    9 de março de 2014 at 19:13 — Responder

    Gostaria muito de saber se fechou o tour antes de ir ou lá mesmo. Estou querendo fazer Chile, Bolívia e Peru, mas estou na dúvida se dá para ir por conta própria e ir fechando os passeios nos lugares ou se isso é complicado. Aguardo um contato 😉

    • 9 de março de 2014 at 22:37 — Responder

      Oi Priscilla! Todos os passeios que fiz eu deixei pra fechar quando chegava nas cidades e foi bem tranquilo achar, não reservei nada!

  12. Flavio De Ranieri
    13 de março de 2014 at 19:53 — Responder

    OI LEONARDO, EU SOU UM JOVEM SENHOR E ESTOU PENSANDO EM FAZER A MINHA PRIMEIRA VIAGEM SOLO.
    ESTAVA COM MUITAS DÚVIDAS E FOI DE GRANDE VALIA O SEU BLOG.
    GOSTARIA DE SABER SOBRE OS ALBERGUES, COMO SÃO , QUANTO CUSTA, SE TEM CHUVEIRO QUENTE , ETC …..
    OBRIGADO , UM ABRAÇO!

    • 14 de março de 2014 at 23:47 — Responder

      Oi Flávio!! Que bom que o blog pode te ajudar em alguns pontos!!

      Então, albergue pode variar muito, tanto no preço como na qualidade. A faixa de valores varia de R$20,00 a R$80,00, alguns podem chegar a ser mais caros, mas valor alto não significa qualidade de serviço, por isso é bom você pedir para ver o quarto, situação das camas, se estão limpas e principalmente o banheiro antes de decidir ficar no albergue e pagar. Eu digo o banheiro pois já fiquem em vários que prometiam água quentinha mas na hora o chuveiro funcionava como uma bica com água fria, e nem adiantava reclamar. Passei por isso quando viajei sem reservar nada e nem se quer pesquisar na internet, depois disso eu passei a pelo menos dar uma olhadinha em fotos no google e comentários de pessoas que se hospedaram em tais albergues!

  13. Francisco Antonio de Alencar
    23 de março de 2014 at 17:21 — Responder

    Olá! Leonardo,
    Gostei muito do teu Blog e já salvei nos meus favoritos, boas dicas. Bem, tenho 63 anos e estou indo com o meu filho de 20 anos à Bolivia e Peru e gostaria muito conhecer o Salar de Uyuni, mas fico com receio devido a idade. Mandei e-mail a empresa que voce indicou espero que ele me respadam. Estou tambem ancioso por dicas de transportes e hospedagem, o meu roteiro inicial e La Paz – Uyuni – La Paz.
    Francisco Alencar

    • 23 de março de 2014 at 21:22 — Responder

      Oi Francisco! Que bom que gostou do blog, fico feliz!

      Imagina Francisco, idade não é problemas, se você reparar na quantidade de senhores e senhoras que viajam dessa forma você vai se impressionar!
      Então, a rota La Paz – Uyuni – La Paz podem ser feitas de 2 formas, ônibus e avião. Já adianto que os ônibus não são confortáveis, de vários que peguei lá apenas 1 foi, então pra ir dessa forma já tem que ir ciente que vc pode passar frio a noite e comer poeira pois não são bem vedados, mas acho q isso é o menor dos problemas. Não sei como é sua disposição mas para mim o pior de encarar 18 horas de viagem em ônibus é ficar na mesma posição no espaço curto entre as poltronas. Isso é desconfortável, pelo menos pra mim que tenho quase 2m de altura. O mesmo vale para os ônibus do Peru.

      Já os voos para lá são fretados e não é difícil de conseguir. Você pode conseguir um fácil indo até o aeroporto de El Alto em La Paz e fazer sua reserva. Nesse caso é sempre bom ficar atento a tudo, pois como são empresas pequenas elas não dão muita atenção para o cliente, por exemplo, eles podem mudar o horário do voo como quiserem e partirem sem você! Mas é tranquilo, não conheço muitas pessoas que tiveram problemas!

      Espero que o pessoal da agência que fiz o Salar entre em contato com você! Qualquer coisa é só chamar!

  14. Daniel Campos
    23 de março de 2014 at 22:47 — Responder

    Parabens pelo blog.
    Foi de grande valia todas aa dicas.
    Pretendo ir em Abril, pois estarei em Sta Cruz, gostaria que me informasse como faço para chegar no salar, partindo de Sta Cruz, alem da rota, o tempo de viagem e a media dos precos das passagens.
    Ah onde vc fez o câmbio?

    Muito obrigado e o relato ja ajudou muito.

    Obrigado.

    Daniel Campos

    • 23 de março de 2014 at 22:58 — Responder

      Oi Daniel, obrigado!

      Então, de Stª Cruz pra Uyuni eu tenho a rota de ônibus que fica da seguinte forma:

      Stª Cruz > Sucre – 17 horas de viagem
      Sucre > Potosí – 6 horas de viagem
      Potosí > Uyuni – 8 horas de viagem

      Não me lembro ao certo o valor das passagens mas não é nada muito caro. Vc pode comprar a primeira no Terminal Bimodal em Stª Cruz, tem várias empresas, procure uma que tenho ônibus cama. Chegando no terminal das outras cidades vc já pode comprar o das próximas cidades.

      Vc pode optar por fazer a primeira rota Stª Cruz > Sucre de avião, as passagens giram em torno de R$300,00.

      Fiz o câmbio em Stª Cruz lá em frente ao Terminal Bimodal, foi com cambista de rua, não tive problemas!

      Espero que ajude, qualquer coisa é só chamar!

  15. Francisco Antonio de Alencar
    24 de março de 2014 at 10:11 — Responder

    Obrigado mais uma vez pela atenção.
    É possível fazer o Salar Uyuni em um dia, tipo bate volta? Na cidade de Uyuni encontro empresa com facilidade para nos levar?
    Francisco

    • 24 de março de 2014 at 13:59 — Responder

      Oi Francisco! Creio que dê pra fazer em 1 dia apenas, mas não é muito proveitoso porque tudo lá no salar é distante. Em Uyuni é fácil sim de achar empresas, na maioria das vezes elas te abordam no meio da rua oferecendo passeios.

      • Francisco Alencar
        3 de abril de 2014 at 16:18 — Responder

        Olá! Leonardo, em respostas anteriores voce comenta que o Salar Uyuni por vezes fica alagado e que é muito bonito, coisas que suas fotos comprovam, mas como se anda nele quando está assim, é necessário se ter bota impermeável?
        Obrigado
        Francisco

        • 5 de abril de 2014 at 00:30 — Responder

          Sim sim, uma bota impermeável ou com uma sola bem grossa resolvem o problema. A camada de água lá é bem fina, nada que dê para afundar o pé!

  16. Willian
    28 de março de 2014 at 10:58 — Responder

    Bom dia todos…. Caso alguém queira companhia.. embarco dia 01/04/2014 rumo a Sta. Cruz De La Sierra. Vou a Uyuni, San Pedro do Atacama, Arequipa, Ica e Paracas, Cusco, Aguas Calientes, Puno, Copacabana, La paz e volto para Sta. Cruz De La Sierra para pegar o voo de volta dia 01/05. Tenho todo roteiro e preços aproximados dos translados, horários, hostels, etc. tudo planilhado.

    • Ítalo
      6 de abril de 2014 at 21:07 — Responder

      Primeiramente quero parabenizar Leonardo Lima,

      Bacana de mais seu site, super útil! Suas fotos de Salar de Uyuni são surreal, tamanha beleza natural.

      Willian, teria como me passar sua planilha de custos?
      Estou querendo ir com minha esposa, e mais amigos…no entanto gostaria de saber se no mês de janeiro ou fevereiro é viável o passeio.

      Desde já agradeço.

  17. 28 de março de 2014 at 11:23 — Responder

    Oi Leonardo! Parabéns pelo blog, os relatos me ajudaram a esclarecer várias dúvidas, estão sensacionais!! Vou ao Salar agora em abril e chego em Santa Cruz dia 19/04. Você saberia dizer se esses aviões fretados para Sucre, só é possível comprar na hora? Ou a passagem de avião deve ser comprada com antecedência? Indica alguma cia. aérea mais em conta? Quanto a pegar ou não o salar alagado em abril, acha que existe alguma possibilidade? Conseguiu vaga na Colque Tours mesmo fechando na hora e sem reserva antecipada? Obrigada!!!

    • 28 de março de 2014 at 13:16 — Responder

      Oi Pauline!

      Então, tem uma empresa aérea que voa para lá, é a Boliviana de Aviación e os voos costumam ser baratos, é só dar uma olhada no site deles, mas é sempre bom reservar antes! Sobre o Salar, eu o peguei alagado em Julho, isso porque estava nevando e o sal derretia a neve, em Abril não sei como é o clima lá, mas espero que você o pegue alagado! A vaga na Colque Tours eu consegui fechando na hora mesmo, tem várias empresas lá, acho difícil todas estarem lotadas!

      Boa sorte!

      • Francisco Alencar
        28 de março de 2014 at 16:07 — Responder

        Pegando uma carona neste comentário, quando voce fala no Salar alagado, isto não é um problema? tipo ficar molhando em um frio imenso? Agora fiquei receioso.
        Francisco

        • 28 de março de 2014 at 17:52 — Responder

          Não é não, geralmente a camada de água é bem fina, é bom usar uma bota impermeável!

  18. willian
    28 de março de 2014 at 18:31 — Responder

    Em Abril é tranquilo, pois não é frio, nem corre muito risco de chover. Tem avião de Sta Cruz para Sucre.

  19. Lara
    29 de março de 2014 at 11:38 — Responder

    Oi Leonardo, queria um help pois pretendo viajar em dez para visitar o Uyuni…
    Mas vejo varias recomendaçoes mais negativas sobre esse periodo…vc tem info quanto a isso?

    tks!

    • 1 de abril de 2014 at 17:55 — Responder

      Então Lara, não posso afirmar se é bom ou não, vai ser verão! Posso te falar quanto a julho que foi a época que fui, era inverno, tava super frio e o visual do Salar estava lindo todo alagado!

  20. Paula
    3 de junho de 2014 at 23:31 — Responder

    Oláá
    to programando de ir com uma amiga minha pra Salar de Uyuni e gostei muito do seu relato!
    Vou ter que ficar uns 5 dias (por conta do trabalho), você acha que isso é realmente o necessario. E quanto ao frio, vale a pena o passeio mesmo assim? To meio com medo disso hhaha
    valeuuu

    • 3 de junho de 2014 at 23:52 — Responder

      Oi Paula!! Então, você terá apenas 5 dias para ir até o Salar, fazer o tour e voltar? Se for eu creio que não vai dar tempo, visto que é longe e pra chegar lá de ônibus leva no minimo 2 dias, mais 3 dias de tour, mais volta! Independente de frio ou calor, o lugar vale muito, mas muito a pena, é único no mundo, até hoje não conheci um lugar que supere o Salar de Uyuni! Vá sem medo!

  21. 10 de junho de 2014 at 19:13 — Responder

    Olá Leonardo, tudo bem ?
    Gostaria do contato do seu guia, o luis, você poderia me passar? Abs. Iara

    • 11 de junho de 2014 at 22:34 — Responder

      Oi Iara!! Então, o Luís trabalhava com a Coquesa Tours e você pode encontrar ela na Calle Bolivar em Uyuni! Se quiser pode entrar em contato com ele pelo coquesatours@hotmail.com ou pelo (591-2)6933565!

      Bom, não posso confirmar se o contato dele ainda é esse pois já fazem 3 anos que fui! Mas vale tentar!

  22. norma sueli
    15 de junho de 2014 at 21:51 — Responder

    wiliam vamos fazer o Salar e Atacama partindo de Cochabamba na Bolivia em julho/2014. poderia me passar informações? preços, roteiro e quantidade de dias necessários.

  23. 30 de agosto de 2014 at 10:15 — Responder

    Adorei seu relato!!! Excelentes fotos.

  24. EDUARDO
    17 de setembro de 2014 at 02:39 — Responder

    leonardo muito legal , muitas coisas acabarão me ajudando gostaria de somente saber o valor que tu relatou seria em media 150 reais por pessoa ou por grupo ? em Uyuni !!! Eu pretendo ir em Janeiro agora sozinho e irei fazer mochilão !!! Willian teria como tu passar teu roteiro , informações , e valores !!! ou alguem que tenha pego com ele !! Grato desde Ja

    • 17 de setembro de 2014 at 18:11 — Responder

      Oi Eduardo. O valor seria em média esse, mas por pessoa. Como fui em 2011 creio que agora esteja um pouco mais caro. Boa viagem, o Salar é único!

  25. Laiane
    24 de janeiro de 2015 at 20:35 — Responder

    Oi Leonardo, beleza?

    Legal seu relato. Sei que já faz tempo que você fez esse passeio, mas se puder me ajudar com algumas dúvidas eu agradeceria demais 😀

    Você chegou pela Bolívia e comprou o passeio em Uyuni mesmo, certo? Pelo trajeto, você achou que valeu a pena pelas coisas que viu?

    Pergunto isso pois vi relatos de quem fez saindo de San Pedro de Atacama e numa viagem de quatro dias, conheceram lugares impressionantes. Então fico me perguntando qual trajeto deve valer mais a pena, em relação às paisagens e tudo.

    Outra dúvida é em relação ao espelho d agua no salar. Já li que em agosto e janeiro chove, e ir depois dessas datas é legal pra ver o espelho. Só que você foi em julho e também viu esse espelho, o que é fascinante! Estava chuvoso nos dias antes de chegar por lá?

    E uma última dúvida: qual a temperatura que você pegou lá, as mínimas?

    Obrigada!

    • 25 de janeiro de 2015 at 04:19 — Responder

      Oi Laiane!! Eu acho que compensa muito. Comprei o passeio assim que cheguei a Uyuni. Tem rotas de Uyuni a San Pedro cruzando pelo Salar e vice versa, logo as paisagens e os lugares são os mesmos. Mas algumas agências deixam vc livre para escolher os lugares. Vale muito a pena. Fui em julho e apesar de não ser período chuvoso, era inverno e foi um bem intenso, nevou bastante no salar e o gelo derreteu o sal, dai apareceu o espelho. Espero que possa ir lá e conhecer. =)

  26. Cristiane
    19 de fevereiro de 2015 at 17:55 — Responder

    Olá Leonardo! Ótimo relato. Acho que não estou me precipitando em dizer que foi o mais completo e mais claro que já vi até agora. Estou estudando este roteiro à anos…rs Estive na Bolívia em 2013 porém não deu para fazer o Salar. Então estou indo agora em maio. Tenho só uma pergunta: Vi que do aeroporto de Santa Cruz você foi para o Terminal rodoviário, de lá você foi para Sucre, depois Potosi e posteriormente Uyuni. Minha pergunta é você teve que mudar de terminal em alguma das paradas ou em cada terminal que parou dava para pegar o ônibus ao próximo destino? É que vi em um relato alguém comentando sobre mudar de terminal, em Sucre ou em Potosi, se não me engano é em Potosi que você desce em um terminal e deve se dirigir à rodoviária velha para aí sim chegar à Uyuni. Desde já agradeço.

    • 20 de fevereiro de 2015 at 20:28 — Responder

      Oi Cristiane! Exato! Em Potosi na verdade (não sei se foi só comigo), descemos no meio da rua, não era uma rodoviária e no outro dia pegamos o ônibus para Uyuni em um outro terminal, infelizmente não me lembro o nome dele. Potosi tem 2 terminais rodoviários, sendo que só saem ônibus para Uyuni em um deles. Tem que ficar atento a isso lá!

  27. Rafaela
    27 de fevereiro de 2015 at 17:11 — Responder

    Olá Leonardo!
    Adorei seu relato, me ajudou muito em minhas pesquisas. Mesmo sabendo que de dois anos pra cá algumas coisas podem ter mudado, inclusive valores, heheh, se você puder me ajudar agradeço muito. Eu e meu marido estamos planejando ir para Bolívia no final de maio, para conhecer o Salar Uyuni, e meu sonho tmb é ver a neve, como vc viu na sua viagem, heheh. Gostaria de saber onde foi que vcs viram neve? Estava pensando em ir ao Chacaltaya, pra ver, mas não sei se em 8 dias de viagem consigo tudo isso. Vamos partir de Santa Catarina e ir de avião até Santa Cruz. Considerando a sua experiência para o mesmo destino, vc acha q conseguimos realizar a viagem nesses 8 dias? Se puder me responder, muito obrigada!

    • 27 de fevereiro de 2015 at 20:37 — Responder

      Oi Rafaela! Pra você ir em Uyuni, fazer o Salar e ainda ir a La Paz ver o Chacaltaya fica meio apertado para apenas 8 dias. Eu vi neve no Deserto Siloli, o lugar especifico eu não sei, mas era próximo a Estação Avaroa.

      • Rafaela
        3 de março de 2015 at 10:01 — Responder

        Muito obrigada Leonardo. Vou tentar conseguir mais uns dias de férias, pra fazer a viagem tranquila, heheh!! Valeu, grande abraço e ótimas viagens pra vc!!

  28. Cristiane
    27 de fevereiro de 2015 at 18:51 — Responder

    Poxa! Valeu Léo. Já me ajudou muito 🙂 Adorei todos os seus relatos de viagem…rs Como temos o mesmo espirito de aventura…rs Te desejo mais oportunidades de conhecer mais destinos por esse mundo todo e que você continue compartilhando suas experiencias conosco 😉

  29. César Saullo
    23 de maio de 2015 at 19:40 — Responder

    Ola Leonardo, gostei muito de seus relatos e preciso de sua preciosa ajuda. Sou de Minas, tenho 62 . Em nov.2012 conheci o Atacama (fantástico) que agora me leva ao Uyuni . Sairei de S.Pedro no dia 20 de julho e devo fazer o tour de 3 noites e 4 dias.Estarei sozinho esperando encontrar um grupo de pessoas legais. Pergunto: e o frio? consigo dormir num saco de dormir de zona de conforto de -8º ou tem que ser daqueles de pluma ganso etc. – 15º pra baixo ? Nos carros tem ar quente ou é tudo na raça da temperatura ambiente? Questão da altitude é complicado? No Atacama não tive maiores consequências a não ser quando abaixava para fotografar e sempre andando muito devagar.
    Você tem a km de um local para o outro? ou o total de todo percurso? E a comida?
    Grato por suas respostas e espero receba-las em tempo para que eu possa planejar legal esta minha viagem.
    Abraço e ótimas viagens e aventuras por este mundo de meu Deus.

    • 25 de maio de 2015 at 17:11 — Responder

      Oi César, tudo bem? Então, vamos lá…
      É bastante frio nessa época, mas com um saco de dormir de 0 graus ou inferior eu creio que seja suficiente. Os carros tem aquecedores sim. A altitude não me pegou muito, mas afetou meus amigos, não precisamente no Salar, mas antes de chegarmos nele em Potosí, dai tem um remedinho lá chamado Soroche que combate a altitude, se preferir pode também mascar folhas de coca, dizem que ajuda, mas eu mesmo achei horrível. Sobre as distâncias eu não sei dizer, só sei que é tudo muito longe e pode esperar horas e horas de estrada sem fim. A comida não é das melhores, pois eles já preparam tudo antes de parti e depois só vão esquentando, mas é tranquilo, não dá pra passar fome.

      Pode ir sem medo, é um lugar lindo, o meu preferido até o momento. 😉

  30. ashley orlando
    14 de julho de 2015 at 19:34 — Responder

    Olá, andei olhando seu site e gostei muito das suas dicas! Estou querendo fazer o roteiro salar uyuni e San Pedro, li que você fez em julho e estou receiosa quanto as chuvas! Julho é um bom mês para ver os espelhos, tanto quanto os outros passeios do salar e de San Pedro? Estou em dúvida se vou em julho para ver os espelhos ou em outubro pra pegar a época boa.

    • 15 de julho de 2015 at 18:50 — Responder

      Oi Ashley! Então, julho é inverno e estará bem frio. Pode ser que tenha os espelhos, mas é difícil prever pois o clima hoje em dia anda muito louco. O maior problema de ir no inverno é que em alguns lugares podem estar inacessíveis devido o excesso de neve, nesse caso inclui algumas lagoas também que podem estar congeladas. Mas os lugares são lindos em qualquer época do ano, vale a pena. 😉

  31. ashley orlando
    14 de julho de 2015 at 19:37 — Responder

    É possível ver as lagunas como nas fotos durante o mês de julho? Ou estão congeladas?

  32. Daniela
    13 de dezembro de 2015 at 17:33 — Responder

    Olá Leonardo,
    Parabéns pelo relato!! Estou planejando uma viagem ao Salar e Peru…o roteiro seria mais ou menos assim: SP-La Paz, La Paz-Uyuni, ida de 3 dias ao salar, retorno a La Paz, Copacabana, Cusco, visita ao Valle Sagrado (Águas Calientes), Nazca, Lima. Lima-SP.

    Li que fevereiro não é um bom mês no Peru, pois tem mta chuva em Machu Pichu…pensei em março porque tb gostaria de ver o salar com espelho d’água…vc sabe dizer se março é um bom mês para o salar?

    Obrigada!!

    Abs.
    Daniela

    • 16 de dezembro de 2015 at 18:09 — Responder

      Oi Daniela! O período de chuva lá vai de novembro a março. Pode ser que você encontre o Salar espelhado, mas como o clima anda bem mudado, pode ser que mesmo com chuvas ele não esteja com esse efeito.

  33. BRUNO
    15 de fevereiro de 2016 at 21:58 — Responder

    ola leonardo seus relatos são otimos … gostaria de saber se tem como ir de La Paz pra Uyuni de BUS

    IREI EM ABRIL É UMA EPOCA BOA NO SALAR…

    • 17 de fevereiro de 2016 at 20:11 — Responder

      Oi Bruno! Então, provavelmente tem ônibus sim, se não tiver direto (por causa da distância) ele deve ir para alguma outra cidade onde você pode fazer uma troca de ônibus para lá. Talvez você consiga ir para Potosí e de lá para Uyuni. Toda época é boa, cada uma com uma beleza diferente. O lugar é sensacional, vale a pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *