Agora são mais de meia noite, quando minha mente é bombardeada de pensamentos e reflexões, e agora me pergunto se o que mais me faz feliz é algum tipo de doença que eu tenha? Não sei, as pessoas acham que sou louco por só pensar em viagem, mas acho que a felicidade não deve se tornar um problema para alguém!

Desde que realizei a minha primeira viagem de verdade em julho de 2010 eu não consegui mais parar de pensar nisso e depois que descobri o mochilão em 2011 as coisas ficaram piores, ou melhores eu não sei. Talvez tenha se tornado um vício, já cheguei até pedir conta de um emprego de 2 anos somente para cair na estrada e renovar a minha alma.

Hoje eu não consigo mais enxergar Janeiro e Julho como meses de férias e o resto apenas de trabalho e também não vejo mais um emprego apenas para ganhar dinheiro e gastar com coisas supérfluas ou pagar a fatura do cartão de crédito no final do mês.

Segundo meus pais, a única forma de se ter uma vida boa é sendo um Funcionário Público (que pensamento mais sem noção), mas me faz refletir muito. Vejo amigos, conhecidos e até parentes se matando de estudar e passando em concursos públicos para assim ganharem seus 4 ou 5 mil reais por mês e estabilizarem suas vidas, mas eu não quero isso para mim, não que um concurso seja ruim, mas não quero engessar a minha vida e trabalhar nos próximos 40 anos dela no mesmo lugar, com as mesmas pessoas e fazendo a mesma coisa (que talvez eu nem vá gostar) para ganhar alguns mil reais, talvez minha mente amadureça no futuro, mas por enquanto não é isso que quero. Dinheiro é essencial mas ainda não compra a minha felicidade.

Meus amigos curtem minhas aventuras, mas alguns me chamam de louco, minha família (de funcionários públicos mas que pouco colaboram com minhas andanças) me criticam a cada viagem, dizem que simplesmente gasto o MEU dinheiro atoa e que devia estar estudando para o STJ, STF, ST sei lá das quantas, mas como disse Albert Einstein, “a mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original” e por isso eu não consigo abrir mão do que realmente me faz feliz; viajar, desbravar, conhecer!

Um dos motivos mais fortes pelo qual trabalho é tirar uma quantia do salário para investir na próxima viagem, deixo de sair para evitar gastos, parei até de beber para economizar grana pra viajar, a galera do final de semana que me chama pra ir ao bar não gostou muito (risos), quando estou em uma viagem já tento planejar a próxima e quando volto pra casa me bate aquela depressão pós-viagem que é bem enjoadinha, olha só, mas confesso, quando voltei do meu primeiro mochilão eu chorei feito um bebê (que vergonha) mas precisava liberar essas cargas emotivas, no final, chorar me fez muito bem.

Atualmente sou redator em uma agência de publicidade (minha segunda paixão, ser publicitário) mas espero um dia poder unir esses dois ramos em um só, até lá eu fico nessa crise, será que realmente sou louco? Doente? Que deveria deixar isso de lado, prestar um concurso público e garantir o meu salvamento nos próximos 40 anos?

Essa resposta só o tempo vai me dizer! O que sei no momento é que não devemos desistir dos nossos sonhos, por mais que as pessoas nos julguem!

Comente pelo Facebook

comentários