0
Shares
Pinterest Google+

O Egito é um país símbolo no que se diz respeito a história da humanidade. Por lá estão muitas esculturas e templos que mostram um pouco como era aquela cultura antiga. Um dos templos mais conhecidos do país é o maior do mundo, porém alguns afirmam que que Angkor Wat no Camboja é maior. Hoje eu vou contar um pouquinho do Templo de Karnak em Luxor.

Sobre o Templo de Karnak

O Templo de Karnak ou Recinto de Amon-Ra (Deus do Sol e primeiro nome do local) fica localizado em Luxor, antiga Tebas. Podemos dizer que Karnak na verdade é um complexo composto por diversos outros templos que foram construídos por vários faraós entre os anos de 2200AC e 360AC, entre a 12ª e 20ª dinastia. O lugar cobre mais de 80 mil hectares e estima-se que cabem até três estruturas do tamanho da Catedral de Notre Dame, apenas no templo principal.

Foi o mais importante Templo do Egito e onde está localizado o Templo de Amon-Rá, Deus do Sol. Também no local está outros templos menores dedicado a outros Deuses como Osíris, Montu, Ísis, Ptah e Faraós como Hatsepsut, Seti I, Ramsés II e Ramsés III.

Karnak foi feito para ter sido um observatório antigo, tal como como um local de culto onde o Deus Amon iria interagir diretamente com as pessoas na terra. Para os egípcios o Templo de Amon-Rá era considerado o local onde esse Deus morava na terra com sua esposa, Mut, e o filho Khonsu, que também tem templos no local. O templo de Amon-Ra é particularmente famoso pelo vasto salão construído durante o reinado do Faraó Seti I.

Como chegar ao Templo de Karnak

O Templo de Karnak está localizado na cidade de Luxor ao sul do Egito. É possível chegar em Luxor de avião desde o Cairo, porém os voos são um pouco caros. Uma alternativa para quem quer economizar é ir de trem em uma viagem que dura em torno de 10 horas. Os tickets podem ser comprados no site da Egyptian Railways e custa em torno de 8,00 em torno de R$37,00.

Da estação de trem de Luxor até o Templo de Karnak serão em torno de 40 minutos de caminhada. Se tiver tempo sobrando você pode fazer à beira do Rio Nilo, mas caso prefira ir de carro você pode pegar um táxi e levará em torno de 10 minutos, mas negocie bem o valor antes.

Quanto custa visitar o Templo de Karnak?

No Egito existem diversos tipos de tickets para Templos, alguns deles permitem apenas entrar no local, outros permitem entrar e fotografar, então preste atenção no qual você está comprando. Quanto fui eu paguei EGP150,00 (preço de Março de 2019) que equivalem a R$39,00. Não é preciso reservar online, você pode comprar direto na bilheteria.

Visitar Karnak sozinho ou ir em um tour?

Ai fica uma dúvida cruel. Eu super recomendo ter um guia no Templo para te explicar as coisas, mas desde que seja exclusivo para Karnak. Então você pode ir direto para o Templo e encontra um guia na entrada para ir com você.

Eu fui em um tour que incluía outros lugares perto de Luxor como o Vale dos Reis por exemplo. Porém esses tours são muito cansativos e temos que fazer tudo correndo. Como eu não tinha tempo suficiente eu optei por ir com um tour que um egípcio me ofereceu na rua. Quando cheguei em Karnak o tour durou menos de 30 minutos, então eu apenas falei para guia que ficaria por lá para aproveitar mais o local.

Visitando o Templo de Karnak

Era noite em Luxor quando reservei um dia inteiro de tour para vários lugares, incluindo o Templo de Karnak pelo meu hostel pela bagatela de 500EGP (R$130). Depois que sai do hostel um cara meio suspeito me abordou na rua para me vender o mesmo tour só que por 250EGP (R$65). Eu fiquei meio desconfiado, mas peguei o número dele e disse que ligaria mais tarde. Depois encontrei um amigo egípcio e ele me ajudou, ligou para o sujeito, me conseguiu um desconto e agendamos o passeio por 200EGP (R$52), logo cancelei no hostel.

No dia seguinte estava eu no local e horário marcado pelo sujeito estranho, mas que no fim foi de confiança. O motorista me coletou e depois mais pessoas e lá fomos nós para conhecer os lugares ao redor de Luxor e o ponto final deles era o Templo de Karnak. Cheguei no templo por volta das 4 da tarde e eu não tenho palavras para descrever a beleza e dimensão daquele lugar.

Corredor de Esfinges e a Avenida de Esfinges

Após passar pelo centro de visitantes nós caminhamos até a imponente entrada do templo onde está localizado um corredor com 40 esfinges com cabeça de carneiro.

Já a Avenida de Esfinges é uma outra e que não tem conexão com o templo. Ela foi construído no reinado de Nectanebo I no século IV, cerca de 1.000 anos após os templos. A avenida inteira tinha mais de 3 km de comprimento e devia ter mais de 2000 esfinges juntas conectando os Templos de Luxor e Karnak. Hoje não existe mais, porém é possível ver resquícios do corredor pela cidade.

Primeiro Pilão e o Templo de Taharqa

Indo mais adentro chegamos ao primeiro pilão. Esse é o nome dado para essa espécie de portal em forma de muralha no Egito. Karnak tem um total de 10 Pilões. O 1º Pilão tem 113 metros de largura e 43 metros de altura, duas vezes o tamanho do pilão no Templo de Luxor. No entanto, é muito mais novo, construído durante a 25ª dinastia etíope que governou o Egito por volta de 700 aC.

Ao passar por ele chegamos ao Templo de Taharqa. Ele foi o 4º rei da 25ª dinastia. Os restos deste imenso templo, construído pelo faraó Taharqa (690-664 aC), consistia originalmente em dez colunas de 21 metros de altura, mas hoje existe apenas uma grande coluna em pé. Ali do ladinho também está o templo do Faraó Seti I.

Segundo Pilão e o Salão de Hipostilo

O segundo pilão foi construído por Horemheb (1323-1295 aC), que encheu o interior dele com milhares de blocos de pedra de monumentos demolidos, construídos pelo rei herege Akhenaton. Com sua morte o pilão ficou inacabado, foi então que Ramsés completou a decoração e substituiu todo o trabalho de Horemheb pelo dele. Hoje, a parede externa do segundo pilão está seriamente danificada e sua altura original é desconhecida.

Depois dali chegamos ao Salão de Hipostilo de Karnak, que acho que é um dos cartões postais do templo. Uma grande sala com mais de 5 mil metros quadrados e 134 colunas que sustentavam o teto (que hoje não existe mais). Cada coluna tem 23 metros de altura e 15 metros de circunferência. O salão foi construído por Seti I, que inscreveu a ala norte. A ala sul foi completada por Ramsés II. Faraós posteriores, incluindo Ramsés III, Ramsés IV e Ramsés VI, acrescentaram inscrições às paredes e às colunas. Dizem que é uma pilastra para cada Faraó do antigo Egito.

Terceiro, quarto e quinto pilões, Templo de Path e os Obeliscos

Em seguida passamos pelos terceiro, quarto e quinto pilões, eles estão meio que juntos, porém não há quase resquícios do que foram, então nem dá para perceber. Dali é possível ver o Templo de Path, Deus tutelar de Memphis, foi construído pelo Faraó Tutmés III e ampliado e restaurado pelo governante etíope Shabaka e por alguns dos ptolomeus.

O Egito está cheio de Obeliscos, mas em nenhum outro templo você vai encontrar tantos quanto em Karnak. Com obeliscos, um faraó tinha uma maneira econômica de adicionar monumentos que se erguiam acima de construções mais altas. Portanto, como prova da força e poder de um faraó os obeliscos foram adicionados aos templos. Para que finalidade ritual o obelisco tinha? Nenhuma!

O Escaravelho e Lago Sagrado

Ali do lado é possível ver uma estátua de um escaravelho. Para os egípcios antigos o escaravelho representava o renascimento de algo, por isso o símbolo era muito usado na cultura antiga. Essa estátua em Karnak representa o Deus Khepri, o sol renascido ao amanhecer. Dizem que se você der 3 voltas em torno da estátua terá sorte eterna, mas se der 9 voltas você terá um filho. Infelizmente eu esqueci de tirar uma foto dele.

Já o Lago Sagrado em Karnak é um dos maiores que há. Ele foi criado pelo Faraó Tutmés III e mede 120m por 77m. O lago era usado pelos egípcios para rituais espirituais além de ser lar de animais como Gansos, que eram conectados ao Deus do Sol Amon, sendo um símbolo das águas das quais a vida surgia. Apenas pessoas importantes como os Faraós eram autorizadas a entrar no lago.

O Templo de Amenófis II

O Templo de Amenófis II foi construído para o festival de Sed e é um dos templos mais escondidos em Karnak. Dizem que o Faraó Horemheb o moveu para dar espaço a mais monumentos que levavam ao templo de Amon. Este é mais um dos templos esquecidos aqui, mas se você não se importar com as colunas quebradas e local menos cuidado há muitos relevos finos com cores originais para explorar.

Sétimo, Oitavo e Nono Pilão de Karnak

O 8º Pilão fica bem em frente ao Tribunal Cachette. Este é o menor de todos eles. Em seguida chegamos ao 9º Pilão. Ele é o mais completo e possui 4 colossos sentados, dos quais o da ponta é o mais completo. O 9º Pilão está destruído e passa por reparos. Este pilões pertencem à área fechada de Karnak. Você pode até conseguir ir lá e ver antes que os guardas o descubram e você seja expulso (em de maneira amigável, claro).

O Templo de Karnak é imenso, literalmente um museu ao céu aberto. Eu poderia ficar aqui falando bastante coisa sobre o Templo de Karnak, porém seria um post extremamente longo. Há o Templo de Osíris, Ramsés II, Seti I dentre muitos outros que eu não cheguei a ver. A minha recomendação é estudar um pouco a mais sobre o lugar e mapear tudo para já ir sabendo um pouco da história e o que procurar lá, já que alguns guias não contam tudo e o local é imenso.

O que você achou do Templo de Karnak? Conta ai!

Comente pelo Facebook

comentários

Post anterior

Um sobrevoo por Bled

Próximo post

Esse é o post mais recente