0
Shares
Pinterest Google+

Veneza + Verão = Inferno

Ah a cidade das vielas, canais e gondolas, Veneza é mundialmente conhecida por essas características além de ser uma cidade linda e romântica com seus restaurantes típicos e aconchegantes. Falar mal de Veneza é quase impossível, mas vai no verão pra você ver.

Sobre Veneza

Veneza fica no norte da Itália, é a capital da região de Veneto e é composta por um conjunto de 117 ilhas divididas por centenas de canais. Com o fim do Império Romano no século X algumas pessoas da região de Veneto (conhecidas como Venetis), procuraram refugio e foram para as ilhas onde hoje se encontra Veneza, onde tudo começou.

Com pessoas se mudando para as ilhas era preciso uma conexão entre elas, foi ai que a cidade começou a ser construída, pontes foram ligando umas ilhas as outras. Para solucionar o problema entre as ilhas mais distantes eles começaram a fazer aterros, com isso o espaço em terra foi crescendo e maior a cidade foi ficando. No começo eram apenas 65 ilhas e hoje já são mais de 100 ilhas, mais de 150 canais e mais de 400 pontes.

Visitando Veneza

Fui em Veneza em Julho, ápice do verão, um calor infernal e uma quantidade de turistas absurda. Logo que sai da estação de trem Santa Lucia já tive um gostinho do que estaria por vir.

Da porta da estação você já da de cara com o Gran Canal de Veneza, digamos que seria a principal avenida fluvial da cidade, dali precisei do GPS para me guiar e olha que nem com GPS foi fácil de se localizar nas vielas da cidade. A beira do Gran Canal é cheio de restaurantes e lojinhas de tudo quanto é tipo e dividir as ruas estreitas com a quantidade de turistas, mesas de restaurante e cabides e armários das lojas de souvenir não era tarefa fácil, ainda mais com aquele sol escaldante de julho e o clima abafado e úmido.

Conforme andava ia cruzando pontes e canais bem charmosos com gondolas passando a todo momento. Não andei em nenhuma, pois ao meu ver não valia a pena ficar preso dentro de uma gondola naquele engarrafamento de barcos que tinha. Outra coisa que ouvi por lá é que cada passeio de gondola custava mais de 100 euros e que os gondoleiros não eram caras tão simpáticos assim. Cada vielazinha tinha seu tom aconchegante conforme andava, algumas vazias e calmas, outras abarrotadas de turistas, mas todas sempre levavam há um beco sem saída ou alguma catedral.

Um dos pontos altos da cidade é a Piazza San Marco. A praça foi construída no século IX apenas como uma pequena área na frente da Basílica de San Marco mas que foi estendida ao seu tamanho atual. Uma curiosidade é que a praça é o lugar mais baixo de Veneza, então sempre que chove muito ou a maré sobe a praça é o primeiro lugar a ficar inundada.

Os lugares mais amplos como a praça eram os lugares mais quentes de todos, parecia uma grande frigideira fritando todo mundo. A cidade é linda, mas o calor é de matar e acabar com qualquer turismo, até pra quem é brasileiro. Eu até tentei, mas não consegui turistar por lá o quanto gostaria, por isso não trouxe tanta informação quanto gostaria de ter trazido sobre Veneza.

Em contra-partida a todo o calor do dia, durante a noite a cidade fica mais calma, com menos gente e aquele lindo luar refletindo nas águas deixa a cidade linda. Aproveite para ir em algum restaurante durante a noite, são todos bem românticos e aconchegantes.

Como se locomover em Veneza?

Sim, é um caos andar pela cidade, vielas estreitas, sem saída ou de uma mão só. Mapas de papel acredito serem uma perda de tempo, o melhor a se usar é o GPS do celular e se locomover através de nomes de museus, restaurantes e igrejas, nunca use os nomes das ruas.

Outra opção é usar o “ônibus aquático”, sim existem diversas estações de barcos no Gran Canal que leva você para diversas partes da ilha. Cada estação tem uma linha de barco e um mapa que você pode ver. Um ticket custa em torno de 7 euros, mas o passe de 1 dia é 20 euros e você pode pegar quantos barcos você quiser. Vale lembrar que as embarcações são totalmente lotadas e lembram aqueles ônibus do horário de pico com todos cheirando rosas.

Onde ficar em Veneza?

Veneza tem uma infinidade de lugares para se hospedar, porém quanto mais perto da ilha, mais caro vai ficar. Eu recomento se hospedar em Mestre, uma região de Veneza, mas que fica na costa há mais ou menos uns 5 minutos da ilha de trem.

Como chegar em Veneza?

Veneza possui um aeroporto, mas que fica meio distante, essa é uma opção para que voa com Low Coast. Uma outra opção é ir de trem saindo de outras cidades italianas. Partindo de Roma são mais ou menos 4 horas de viagem e 3 horas saindo de Milão.

Veneza está afundando?

Não, Veneza não está afundando, está sendo inundada. Um dos últimos estudos realizados em relação ao aumento no nível dos oceanos utilizou satélites de última geração para registrar a movimentação na área e a cidade está sendo inundada sem precedentes de resolução. Segundo um relatório da ONG Co+Life, o nível dos oceanos deve subir até 2 metros ainda no século 21, com isso diversos lugares do planeta irão desaparecer e Veneza é um deles. A cidade está em uma situação tão critica que possui um monitoramento contínuo.

Como disse no começo, Veneza é linda e minha intenção não é te desanimar para ir, mas se você vai no alto verão, vá preparado para o calor e a super lotação.

Comente pelo Facebook

comentários

Previous post

O que comi por ai: Guisado de Carne & Guinness

Next post

Corralejo, um paraíso das Canárias