Home»Europa»Trolltunga, uma das trilhas mais bonitas do mundo

Trolltunga, uma das trilhas mais bonitas do mundo

0
Shares
Pinterest Google+

Sabe quando você vê a foto de um lugar que é extremamente lindo e fica se perguntando se aquele lugar existe ou é uma montagem? Bom, eu senti isso na primeira vez que vi uma foto do Trolltunga na Noruega, ficava me perguntando como poderia um lugar tão bonito existir, mas nunca me passou pela cabeça que poderia conhecer até que… eu conheci!

O que é o Trolltunga?

O Trolltunga é uma das falésias mais conhecidas na Noruega com uma das vistas mais espetaculares que se pode tendo sua formação há mais de 10 mil anos atrás. Ele está localizada no condado de Hordaland, sudoeste da Noruega, há cerca de 1100 metros acima do nível do mar e 700 metros de altura do Lago Ringedalsvatnet. A vista do lugar é de tirar o fôlego, especialmente se for um dia ensolarado (coisa rara na região).

Trolltunga em dia ensolarado. Foto: Shutterstock
Trolltunga em dia ensolarado. Foto: Shutterstock

Trolltunga significa a Língua de Troll (Troll’s Tongue), isso tem a ver com o folclore escandinavo, onde segundo ele os Trolls seriam criaturas gigantes e horrendas e que lembram muito um Ogro (não o Shrek). As lendas ainda dizem que o Troll é uma criatura noturna que vive nas cavernas e montanhas e que apesar de não dispor de inteligência possuem poderes como invisibilidade e mudança de forma.

Como chegar ao Trolltunga?

Ir ao Trolltunga não é uma tarefa muito fácil. Primeiro você precisa ir para uma das 3 principais cidades da Noruega, são elas a capital Oslo ou as cidades de Bergen e Stavanger e a partir delas ir rumo a Odda, cidade mais próxima do Trolltunga. Apesar do aeroporto mais próximo estar em Bergen (135km) eu saí de Oslo (338km) para Odda, então explicarei como ir saindo de Oslo.

-Ônibus: Ao meu ver é uma das melhores maneiras de se locomover e foi o que eu usei. A empresa que faz esse trecho é a NOR-WAY Bussekspress e ela possui ônibus que partem diretamente de Oslo para Odda. O valor adulto é de kr$1.200,00, equivalente a €130,00 ou R$473,00 ou tarifa estudantil por kr$640,00 equivalente a €70,00 ou R$250,00. A tarifa estudantil apenas é aceita com o cartão estudantil da ISIC.

-Trem: Você pode ir de trem também, mas pode ser que saia mais caro que de ônibus e você ainda precisará pegar um ônibus, pois não há estação de trem em Odda. A empresa que faz o trajeto é a NBS e os trens partem de Oslo para a cidade de Voss e de lá você precisa pegar um ônibus para Odda. O trem sai em torno de kr$700,00, algo como €80,00 ou R$270,00.

-Carro alugado: Uma das boa alternativas e mais rápidas seria alugar um carro e viajar. As estradas são muito boas e as paisagens são lindas. Para isso é preciso ter carteira de habilitação válida e um bom dinheiro, já que as coisas na Noruega não são baratas. Se você for em grupo essa opção seria ideal, pois vocês podem dividir o valor.

Uma vez em Odda é hora de ir para o começo da trilha em Skjeggedal, que fica há mais ou menos uns 17km da cidade. Para isso há um transfer que leva o pessoal até lá, ele é operados pela Odda Taxi. O ônibus-taxi parti da cidade em 2 horários, às 06:30 e 7:30 da manhã com destino a Skjeggedal e tem retorno para Odda às 19:30 e 20:30. As passagens de ida e volta custam kr$200,00, algo como €20,00 ou R$80,00. Você pode comprar esse transfer no ponto de taxi de Odda ou então pelo site da empresa. Caso queira alguma informação em particular você pode ligar para o (+47)5364 1414.

Depois disso é hora de encarar os 22km de trilha, 10 horas de caminhada ida e volta e um desnível de cerca de 900 metros. Olhando o mapa do percurso abaixo dá para ter uma noção do tamanho da caminhada.

Mapa da trilha
Mapa da trilha

Onde ficar em Odda?

Odda é a base para quem vai ao Trolltunga, é uma cidade muito charmosa, pequena e muitos dizem que não há o que fazer por lá, mas eu gostei muito da tranquilidade do lugarr, por isso aconselho a passar um dia a mais na cidade, ainda mais se você quiser descansar da trilha ou da longa viagem.

Eu fiquei hospedado no Hardanger Hotel, que fica bem no centro da cidade e de frente para o fiorde dando aquela vista espetacular. O hotel possui quartos aconchegantes, TV, Internet free, atendentes bem amigáveis e um café da manhã muito delicioso. Eles também dão as informações que você precisa sobre a trilha. De frente para o hotel também está localizado o Centro de Informações Turisticas de Odda. Já escrevi sobre o Hardanger Hotel aqui no blog, para ver o post clique aqui.

Como é a trilha ao Trolltunga?

A trilha ao Trolltunga tem ao todo, ida e volta, 22km e 10 horas de caminhada com um desnível de mais ou menos 900 metros, então já sabemos que não é uma tarefa fácil e que leva o dia inteiro. Ela é considerada uma trilha de nível difícil, portanto é bom ter uma certa preparação física e conhecimento de trilha para poder fazer.

A trilha é toda sinalizada com um T em vermelho indicando o caminho e placas sinalizadoras a cada 1km. Durante a trilha também é possível achar alguns abrigos que você pode ficar em caso de emergência, eles possuem beliches e cobertores para as pessoas.

A melhor época para fazer a trilha é no verão europeu. Entre 15 de junho e 15 de setembro é permitido realizar a trilha sozinho, entre os dias 16 de setembro e 15 de outubro e 19 de março e 14 de junho é permitido fazer a trilha com o acompanhamento de um guia particular e entre os dias 16 de outubro e 18 de março, no auge do inverno, é extremamente proibido fazer o trajeto, pois se torna muito perigoso.

Informações sobre a trilha
Informações sobre a trilha

Antes de marcar a sua ida é sempre checar a previsão do tempo no Trolltunga com antecedência, assim dá para escolher um dia de sol ou um que a precipitação de chuva seja menor.

É perigoso ir ao Trolltunga?

Não vou mentir, é perigoso sim. São muitas subidas, pedras soltas e abismos de mais de 1000 metros, então uma pessoa desligada ou não preparada pode facilmente cair em uma das armadilhas naturais do lugar. Vale lembrar que houve apenas 1 morte no lugar, uma australiana fez a trilha em 2015 e caiu do Trolltunga quando estava tentando tirar uma selfie, o gerente do meu hotel me disse que ela estava tentando fazer isso durante a noite, então convenhamos, ok? Devido a falta de cobertura o corpo da jovem apenas pode ser resgatado muitas horas depois. Apesar de apenas 1 morte o lugar também registra muitos resgates, cerca de 18 pessoas por mês são resgatadas de helicóptero por não se cuidarem bem.  Atitudes estupidas podem custar a vida em um lugar desses.

O que preciso levar para o Trolltunga?

Roupas confortáveis são indispensáveis nesse trajeto e aconselho que sejam impermeáveis, pois o clima na montanha muda constantemente. Então vá com calças leves, camiseta que elimine rápido o suor, leve também roupas extras para emergências como jaqueta de frio, touca, luvas e o mais importante de todos, BOTAS CONFORTÁVEIS, IMPERMEÁVEIS e RESISTENTES. Também aconselho a fazer a trilha com ao menos 1 bastão de caminhada para dar suporte nas subidas e descidas, mapa, bússola, lanterna e kit para primeiros socorros. Celulares têm mal ou quase nenhum sinal na região.

Leve coisas para comer, como sanduíches, frutas e barras de cereais, nada de muito pesado, mas em boa quantidade para forrar o estômago. Sobre água eu aconselho a levar apenas 1 garrafa cheia e pode ser dessas de 500ml mesmo, pois durante a trilha você encontrará centenas de fontes naturais com uma das águas mais puras do mundo e apropriadas para beber.

Fazendo a trilha ao Trolltunga

Depois de 7 horas de viagem de Oslo até Odda e um dia de descanso na cidade eu acordava às 5 da manhã com o meu celular despertando. Confesso que estava morrendo de preguiça, ainda mais porque o tempo lá fora estava muito nublado, mas reuni forças de onde não havia, peguei minhas mochila que já havia deixado pronta e desci para o café da manhã no hotel. Lá além de comer bem eu também aproveitei e fiz uma marmitinha com algumas coisas para levar, como sanduíches, bacon, salsicha, frutas, iogurte e alguns biscoitos. Dali fui em direção ao ponto de táxi onde às 06:30am o ônibus sairia para levar todos até Skjeggedal onde fica tipo uma vila e o começo da trilha.

Chegando lá eu conheci 3 americanos da Califórnia, então decidimos fazer o caminho juntos. A primeira parte da trilha é uma subida, que antigamente era feito por uma escadinha de madeira, só que ela está desativada sobrando apenas o caminho alternativo, caminho esse que na minha opinião é o mais chato e cansativo de toda a trilha. São mais de 1km de subida dentre as árvores com muita lama e muita pedra, em alguns trechos há algumas cordas para ajudar as pessoas. Fiz essa parte tão rápida, mas tão rápida que quando cheguei no topo acho que minha pressão subiu e até tive uma dor de cabeça, mas que foi passando aos poucos. Depois dessa pimbeira você acha que terminou, mas não, há uma outra, menor, mas não tão fácil e só após ela o caminho fica melhor de ser feito.

Seguindo mais passei por vários lugares rochosos, muitos riachos e lagos da mais pura água norueguesa, tão pura que podíamos beber dali mesmo ou encher nossas garrafas. Em alguns momentos as paisagens do terreno rochoso e cheio de lagos me lembravam o Monte Roraima na Venezuela. O tempo não colaborou, estava extremamente nublado e chovendo muito, apenas em raros momentos a chuva parava e a neblina desaparecia, mas era sempre em momentos que precisávamos, quando como chegamos na metade do caminho e tivemos uma bela vista do lago Ringedalsvatnet lá embaixo.

Caminhando um pouco mais a chuva começou a ficar um pouco mais forte e nós começamos a enfrentar um pouco mais de neblina, até que em determinado momento vimos de longe o Trolltunga, naquela hora deu uma alegria imensa e fomos recarregados com novas energias para podermos concluir a trilha. Alguns minutos e depois de 4 horas de trilha nós finalmente chegamos ao Trolltunga.

Ainda não haviam muitas pessoas lá, pois chegamos bem cedo, porém o tempo não estava bom, ventava muito, chovia e fazia muito, mas muito frio mesmo, quase insuportável de estar ali, uma vez que nós todos já estávamos completamente encharcados de água. Por alguns instantes o clima deu uma aliviada, a neblina desapareceu e pudemos ver toda a paisagem que só aquele lugar poderia proporcionar. Aproveitamos o momento também para irmos até a ponta da pedra tirar a clássica foto.

Meus amigos americanos decidiram fazer o caminho de volta, mas eu preferi ficar ali por pouco mais de 30 minutos, apenas apreciando a beleza do local, antes de me render ao frio e ir embora. Como ainda estava cedo eu fiz a trilha de retorno com mais tranquilidade, apreciando a paisagem que a chuva e neblina me deixava ver. No caminho de volta eu conheci um americano de New York e fizemos esse trajeto juntos, tudo bem que nos perdemos um pouco porque decidimos pegar um caminho que não era mais usado, mas por fim voltamos a trilha original onde acabamos encontrando meus 3 primeiros amigos americanos, logo nós 5 fizemos o trajeto de volta e nada fácil.

Trolltunga é de fato um dos lugares mais bonitos que já estive, e se tenho essa opinião com o clima ruim, imagine como não deve ser em um dia ensolarado? Recomendo muito a visita ao local, mas sempre com prudência. Apesar da trilha exaustiva a paisagem paga o preço e você não vai se arrepender.

Comente pelo Facebook

comentários

Post anterior

Hospedagem em Odda: Hardanger Hotel

Próximo post

Stonehenge: Tudo o que você precisa saber

4 Comments

  1. hermann quintas
    3 de outubro de 2016 at 13:58 — Responder

    ola Leonardo excelente o post, mto obrigado.
    vc poderia esclarecer umas duvidas?? estou indo fazer a trilha em setembro de 2017 com minha esposa, vc fez em setembro tb?? nessa época já não tem mais gelo na trilha?? agora a pergunta mais importante e sobre os perigos da trilha.atualmente eu e minha esposa estamos bem fora de forma[gordinhos para ser mais exato] mas temos um plano para emagrecer e entrar em forma para encarar os 22 km.. agora somos mto inexperientes em trilhas e principalmente em escalada.. tem algum ponto de escalada difícil que poderemos nos dar mal?? obrigado

    • 4 de outubro de 2016 at 11:34 — Responder

      Oi Hermann! Então, o limite para fazer a trilha sozinho é até 15 de setembro, depois dessa data só com guia. Eu fui em agosto, quando fui já não tinha mais gelo nenhum, a não ser no cume das montanhas.
      Não precisa ter uma grande experiência, não tem escalada, mas tem muita subida, treinar o condicionamento ao menos uns 2 ou 3 meses antes é ideal. Quando chegar ao Trolltunga tem uma pequena escada de metal que te ajuda a descer uma pedra e chegar no Trolltunga, fora isso é bem tranquilo, só ficar atento mesmo.

  2. […] Mais informações sobre o Trolltunga você pode conferir no nosso post clicando aqui. […]

  3. ENILSON FERREIRA BASTOS
    25 de maio de 2017 at 10:36 — Responder

    Olá. Leonardo. Vamos fazer a triha no dia 23 de julho. Na lojinha antes da trilha, ou mesmo em Odda, onde pretendemos ficar no hotel, é possível encontrar os bastões da caminhada para venda ou aluguel? Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *