Home»Europa»Croagh Patrick: Trilha na Montanha Sagrada Irlandesa

Croagh Patrick: Trilha na Montanha Sagrada Irlandesa

0
Shares
Pinterest Google+

Pesquisando um pouco sobre locais para fazer tilha na Irlanda eu descobri um lugar chamado Croagh Patrick, que na verdade é uma montanha na costa oeste da ilha. Apesar de eu nunca ter ouvido falar dela antes, o lugar é muito famoso entre os irlandeses, principalmente por causa das histórias religiosas que o envolvem.

A história do Croagh Partick

O Croagh Patrick Mountain é conhecido como a Holy Mountain ou Montanha Sagrada. Sua popularidade remete-se a Saint Patrick (São Patrício) que é o padroeiro da Irlanda. Diz a lenda que Saint Patrick subiu até o topo da montanha e lá ficou por 40 dias em jejum para um ritual quaresmal. Também diz a lenda que foi dali do topo em que Saint Patrick bateu o seu cajado no chão e baniu todas as serpentes da Irlanda (isso mesmo, não existem cobras aqui).

Todos os anos, no último domingo de julho, milhares de fiéis e devotos de Saint Patrick sobem a montanha em uma espécie de peregrinação e procissão religiosa. Muitos sobem descalços para pagar promessas, alguns apenas para rezar e outros apenas para ter a maravilhosa vista lá de cima.

Como chegar ao Croagh Patrick?

Para chegar lá primeiro é preciso ir para Westport, uma cidadezinha localizada na costa oeste da Irlanda, no condado de Mayo, há cerca de 260km de Dublin. Esse trajeto é mais fácil e rápido de feito de trem direto da Heuston Station em Dublin. A tarifa estudantil das passagens de ida e volta são de €34,00 e a viagem dura cerca de 3 horas em um trem bem confortável.


Porém a montanha fica há 8km ao sul de Westport, na região de Murrisk. A linha de ônibus 450 da Bus Éireann é a que faz a rota. Ela passa na Mill Street em Westport em 3 horários diferentes, às 10h, 16h e 18h de segunda a sábado para Murrisk e a passagem é em torno de €8,00.

Onde dormir?

Você pode escolher se quer ficar em algum hostel em Westport, Murriks ou acampar por lá. Eu fiquei em um hostel na base da montanha chamado de Croagh Patrick Hostel. O hostel é muito bom e extremamente novo, tão novo que dava pra sentir o cheirinho de tinta e dos móveis nunca usados. Ele possui cozinha, refeitório, sala de estar, quartos compartilhados com suite, banheiros compartilhados e toda a assistência por parte dos atendentes, eu mesmo fui muito bem recebido pela dona, que me deu uma carona de Westport até lá. As diárias são a partir de €25,70 com café da manhã incluso.

Caso você prefira também pode acampar. Perto da montanha existem algumas áreas verdes, que na verdade eu não sei se são propriedades privadas ou não, eu também não vi ninguém acampando, mas eu acho que pode sim, mas se forem é sempre bom estarem com dinheiro, caso seja proibido ninguém ficará no frio.

A trilha ao topo do Croagh Patrick

A trilha para o Croagh Patrick tem uma extensão de 8km ida e volta com um desnível de 764 metros. A trilha é de nível moderado-difícil, mas é possível completá-la em 4 horas. Eu fiz em 7 horas porque fui acompanhando uma amiga italiana que estava fazendo trilha pela primeira vez, então fomos no ritmo dela, além também de que paramos algumas vezes para apreciar a paisagem.

Saímos do hostel umas 10h da manhã e fomos para o começo da trilha que fica praticamente do lado dele. Logo na entrada nós passamos pelo centro de visitantes do Croagh Patrick e em seguida para chegamos em um ponto que há uma pequena estátua de Saint Patrick, a partir dali a trilha começa a ficar um pouquinho mais punky.

Basicamente, todos os 4km de ida são de pedregulho, no começo é bem mais fácil, são pedras maiores e fixadas no chão e com a subida menos inclinada, então é um trecho bem tranquilo de fazer, mas conforme vai subindo, mais inclinado vai ficando e mais pedras soltas pelo caminho vão aparecendo, o que é um perigo. Quando eu estava no caminho me deparei com um rapaz descendo a montanha completamente ensanguentado, ele havia caído de cabeça em uma pedra afiada, não tirei foto nem filmei, pois a situação do rapaz era séria.

Conforme fomos subindo algo bem diferente aconteceu, um ataque de mosquitos, não sei explicar ao certo. Já fiz muitas trilhas que haviam mosquitos bem “carnívoros” como foi no Monte Roraima, mas foi a primeira fez que vi isso em um lugar completamente frio. Eles eram bem pequeno, iguais aqueles que ficam voando sobre frutas quando apodrecem, a única diferença é que mordiam e muito. Eles não nos atacavam enquanto caminhávamos, apenas quando parávamos, dai vinha um enxame deles, o jeito foi se proteger do jeito que deu. Caso você vá, use um repelente bem forte. (Atualização: Fiquei com as marcas das mordidas desses mosquitos por quase 3 meses)

Depois de mais ou menos 2km de subida a trilha ficou plana e de lá tivemos uma bela visão, mesmo que muito nublada (Irlanda né), de todo o vale abaixo da montanha. Ali também existe um lugar onde as pessoas que passam escrevem os nomes com pedras. Escrevamos também, o que nos tomou quase 1 hora.. não recomendo escrever (risos).

Dali em diante a coisa ficou braba, o caminho inclinou de uma forma muito grande, mas o problema nem era esse, mas sim a quantidade de pedras soltas que estavam no chão, coisa que qualquer passo mal dado poderia resultar numa tremenda queda. Eu aconselho muito o uso de bastões de caminhada pois eles me ajudaram bastante para me equilibrar. Por fim, dentre a subida inclinada, pedras soltas e mosquitos na cara nós finalmente chegamos no topo do Croagh Patrick.

Infelizmente o dia estava muito nublado e o topo da montanha estava coberto por nuvens e não deu para ver muita coisa, apenas nos rápidos momentos em que as nuvens saiam da frente era possível ver toda a baía com suas mais de 300 ilhas espalhadas. Ainda no topo estão a capela de Saint Patrick e um local onde dizem que foi a cama dele quando eles estava fazendo os 40 dias de jejum. Muitos fiéis deixam alguns pertences lá como forma de agradecimento.

Resumindo, o lugar é um tanto que desconhecido por quem não é irlandês, eu mesmo não conhecia, mas muito legal de se visitar, para os amantes de trilha então nem se fala. Fica a dica então, se você está na Irlanda vale a pena dar uma passadinha em Westoport e Murriks, mesmo que você não queira fazer a trilha.

Comente pelo Facebook

comentários

Post anterior

O que comi por ai: Fish and Chips

Próximo post

O imponente Arco do Triunfo em Paris

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *