Home»América do Sul»Subindo o Canal do Jari: Braço do Amazonas

Subindo o Canal do Jari: Braço do Amazonas

0
Shares
Pinterest Google+

Na região de Alter do Chão no Pará existe um lugar onde o Rio Tapajós e Amazonas se encontram, um lugar perfeito para ver a flora e a fauna da região como Jacarés, Iguanas, Papagaios, Botos dentre outros e esse lugar se chama Canal do Jari, um braço estreito do Rio Amazonas. Essa região fica inundada entre os meses de fevereiro à agosto e seca nos meses de setembro à janeiro, porém independente da época só é possível chegar de barco.

Com uma imensa biodiversidade, o Canal do Jari é um ótimo lugar para quem gosta de pescar. Ali você encontra diversas espécies de peixes, como Piranhas e até o gigantesco Pirarucu. A beleza singular do lugar fica por conta do contraste das águas barrentas do Rio Amazonas com o verde intenso da vegetação.

Como chegar ao Canal do Jari

Por ser uma região bem remota e de difícil acesso a única forma de se chegar lá é de barco, visto que é uma região praticamente isolada pelo rio. Diversos barcos saindo de Alter do Chão e Santarém passam por ali e você pode contratar um passeio para conhecer a região. Abaixo no mapa você consegue ver a localização. Isso mesmo, o canal fica no meio do rio.

Subindo o canal

Saindo de Alter do Chão, a viagem dura cerca de 2 horas, pois é preciso atravessar o Rio Tapajós, e acredite ele é grande pra caramba. Nesse percurso passamos pelo encontro das águas dos dois rios e logo acessamos as barrentas do Rio Amazonas e entramos no Canal do Jari. O rio imediatamente fica mais estreito e ali podemos observar um pouco dos animais que vivem na beira do rio e algumas casas de famílias ribeirinhas.

Aproveitamos e paramos na casa de uma dessas famílias. Quem morava lá eram um casal de velhinhos bem simpáticos. Eles me receberam com a maior vontade do mundo e contaram diversas histórias lá. Pelo fato de ficarem sozinhos ali por muito tempo, quando chegava alguém eles começavam a conversar sem parar. Entre um cafézinho e outros eles me explicaram sobre o porque das casas da região serem altas, o motivo é que nos meses de cheia o rio sobe em níveis absurdos e facilmente cobriria as casas dali, então eles elevam a casa com macaco de caminhão e quando e colocam embaixo madeiras para deixar a casa alta o suficiente para que o rio não a cubra, dessa forma eles ficam ilhados, tendo os barcos que passam ali como o único meio de transporte.

Eles aproveitaram e me deixou dar uma volta por suas terras. Uma área bem grandona cercada pelo Rio Amazonas de um lado e pelo Rio Arapiuns de outro. Vegetação nativa, densa e muitos bichos preguiças nas árvores.

O lugar é muito legal, tem muita beleza e elementos culturais que antes eu só tinha visto pela TV. Quem vai a Alter do Chão ou Santarém tem que achar um tempinho para visitar. Minha viagem ao Pará para conhecer Alter do Chão e toda essa região foi um patrocínio do Ministério do Turismo que expande cada vez mais o turismo brasileiro e da agência Mãe Natureza Ecoturismo em Alter do Chão.

Comente pelo Facebook

comentários

Post anterior

Intercâmbio na Irlanda: Academic Bridge College

Próximo post

As belezas de PowersCourt House & Gardens

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *