Home»Brasil»As praias do Rio Tapajós no Pará

As praias do Rio Tapajós no Pará

0
Shares
Pinterest Google+

Já falei aqui no blog da imponente Floresta Nacional dos Tapajós que fica no Pará, nas proximidades das cidades de Santarém e Alter do Chão. Pra chegar na floresta é preciso pegar algumas horas de barco pelo Rio Tapajós e como esse rio é muito extenso ele nos dá um leque de praias de água doce onde podemos parar para curtir o dia e é delas que vou falar hoje.

De barco pelo Rio Tapajós

Vale lembrar que andar de barco pelo Rio Tapajós não é como andar em um lago não viu. As vezes a gente vê de longe o rio e acha que é tudo muito tranquilo, mas meu amigo, enfrentei cada onda que achei que a lancha fosse virar em algum momento. Lancha só no nome né, na verdade era uma canoa de metal com uma capota, dai eles chamam de lancha por lá. E mesmo que a água do rio esteja bem parada, pode ter certeza que logo logo ela vai começar a marolar, dai é só colocar o seu colete, segurar firme e curtir a adrenalina.

As praias do Tapajós

O Tapajós é um dos principais rios do estado norte do Brasil, ele nasce no estado do Mato Grosso e percorre 1788 quilômetros até se encontrar com o Rio Amazonas no Pará. Só ali na região de Alter do Chão no período de seca o rio nos proporciona diversas praias de água doce. São como praias mesmo, areia branquinha e bem fininha e como o rio tem grandes dimensões as vezes é possível encontrar até ondas, como as do mar.

Ali na frente mesmo de Alter do Chão já tem a primeira e mais famosa praia da região, ela fica na Ilha do Amor, um grande banco de areia que vira uma ilha dependendo do nível da água. Existem várias canoas que levam as pessoas para lá. Por ser a principal praia o lugar lá é bem movimentado, ou seja, tem bares, barracas de churrasco, um monte de gente tomando sol, então fica meio “bagunçado”, quem procura coisa mais tranquila deve ir para as praias mais distantes. Mas o lugar é bem bonito, de Alter do Chão você tem uma bela vista da Ilha do Amor e do Morro da Piroca lá no fundo. Não me pergunte porque esse morro leva esse nome, mas ele é chamado assim por lá (risos).

Pegando o barco em Alter do Chão e descendo o rio por alguns minutos eu cheguei a primeira praia da região, o lugar se chama Ponta do Cururu. Um extenso banco de areia que vai entrando para dentro do rio e forma como se fosse uma extensa passarela de areia até sumir nas profundezas do rio. É um lugar bem bonito e que não tinha ninguém além dos pássaros, pois me parece que só é possível chegar ali de barco. Mas ela não fica exposta para sempre, depende muito do nível do rio. A Ponta do Cururu fica exposta por cerca de 3 a 4 meses no período de baixa das chuvas, quando o rio enche ela desaparece e retorna apenas na próxima temporada.

Uma outra praia bem bonita lá é conhecida como Praia Ponta de Pedras. Ela leva esse nome  pois em uma parte dela, em uma ponta para ser mais exato, existe um monte de pedras e o resto é apenas areia. Isso dá uma aparência muito bonita para o lugar. Para chegar lá você pode ir de barco desde Alter do Chão ou de ônibus desde Santarém, uma vez que ela já possui estrutura turística com pousadas e bares, mas com menos quantidade de pessoas do que a Ilha do Amor.

Perto da Ponta de Pedras está a Lagoa Preta, que na verdade é um lago verde bem transparente, tão que dá para ver os peixes lá dentro. Perto dessa lagoa tem uma outra praia bem extensa também, esqueci o nome dela, mas era uma região habitada por índios no passado, então facilmente você consegue achar na areia pedaços de cerâmicas esculpidas por eles no passado.

Existem também diversas outras praias na região, algumas sem nome ou se tinha não me contaram, mas com certeza tinham suas belezas. No caminho de volta para Alter do Chão eu parei em uma muito bonita, areia branquinha e a água era meio amarelada e que ia escurecendo conforme ficava mais funda.

Pela extensão do Tapajós, com certeza devem haver inúmeras praias por ali, talvez mais bonitas e menos exploradas das que mostrei aqui. Mas antes de sair se jogando na água vale lembrar que aquela região é bem selvagem e que debaixo daquela água tem muitas Arraias, aquele peixe que tem um ferrão e que não é nada agradável sentir. Mas não é por isso que você não via se divertir, apenas tome as precauções como entrar na água arrastando o pé na areia para evitar pisar em cima de uma Arraia.

Minha viagem ao Pará para conhecer Alter do Chão e toda essa região foi um patrocínio do Ministério do Turismo que expande cada vez mais o turismo brasileiro.

Comente pelo Facebook

comentários

Post anterior

Na América, comendo como os americanos

Próximo post

Usando Seguro Saúde Internacional

4 Comments

  1. 23 de abril de 2015 at 22:54 — Responder

    STM meu lugar querido mora em BLM porem a saudade vai comigo
    Estas fotos de lugares que conheço fa relembrar meu tempos que pescava no Rio Tapajós mergulhando , pontas de pedras, Arapiuns Ilha do meio , Ilha dos periquitos outras ++++++ Saudades

    • 25 de abril de 2015 at 09:43 — Responder

      O lugar é um espetáculo Renalto! Adorei conhecer!

  2. catia
    5 de março de 2016 at 16:38 — Responder

    Leonardo, li a sua pagina, ode vc comenta que sua sua viagem a Alter do Chão e toda região do Tapajós foi um patrocínio do Ministério do Turismo. você pode me explicar como isso funciona?
    Grata e no aguardo …….Catia

    • 9 de março de 2016 at 21:36 — Responder

      Olá Cátia! Eles entraram em contato comigo para a promoção de uma campanha sobre viajar pelo Brasil! Depois do trabalho não mantive tanto contato com eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *