Home»Dicas»Largar tudo para viajar! Bom ou ruim?

Largar tudo para viajar! Bom ou ruim?

0
Shares
Pinterest Google+

Vai depender muito do ponto de vista de cada um. Talvez esse post vá contra tudo que falei aqui no blog, na verdade nem tanto, só queria deixar mais a minha opinião sobre esse lance de largar tudo para viajar, o que tem se tornado bem popular por ai.

Cada vez mais eu encontro na internet histórias de pessoas que simplesmente largaram tudo para cair na estrada, sejam de bicicleta, carro, a pé ou a cavalo, e são histórias realmente fantásticas, me amarro nisso, mas por outro lado esse tipo de coisa é pra quem realmente está preparado e não pra qualquer um. Na mesma frequência com que vejo essas histórias vejo alguns blogueiros de viagem instigando ao máximo as pessoas a fazerem isso, o que me deixa um pouco intrigado e preocupado. Veja bem, não tô dizendo pra você parar de viajar, ao contrário, quero que conheça muitos e muitos lugares, esse é o propósito do blog, mas claro, com prudência minha gente.

Esteja preparado!

Boa parte dessa galera que abre mão de tudo para viajar tem um certo preparo e sabem o que estão fazendo. Em todas as histórias que li, as pessoas sempre tinham uma certa quantia de dinheiro que guardaram durante um tempo trabalhando ou eram donas do seu próprio negócio, o que lhes davam uma certa segurança para largarem seus empregos.

Sobre viajar sem dinheiro, é algo que vai bem mais além e a pessoa deve ter um psicológico muito bom para qualquer imprevisto, pois ela estará sobrevivendo da ajuda de outras pessoas. Imagine só você sem dinheiro nenhum em Buenos Aires no inverno onde as temperaturas caem drasticamente e sem falar que a cidade a noite é cheia de trombadinhas ou então você chegar no portão de entrada de Machu Picchu e não poder entrar por não ter conseguido nenhuma alma caridosa para pagar o seu bilhete, frustrante e nada legal né!?

Guilherme Canever e sua esposa Bianca Soprano largaram seus bons empregos para dar uma volta ao mundo. Foto: Arquivo pessoal de Guilherme Canever
Guilherme Canever e sua esposa Bianca Soprano largaram seus bons empregos para dar uma volta ao mundo. Foto: Arquivo pessoal de Guilherme Canever

A realidade do brasileiro!

Viajar para a realidade da maioria dos brasileiros ainda é difícil, são muitas despesas como passagens, transporte, emissão de passaporte e visto no caso de viagens internacionais e apesar da pobreza no ano de 2013 ter diminuído a miséria ainda é grande no país e para muitas famílias é difícil ter dinheiro para comprar o pão de cada dia. Agora imagine uma pessoa sem condições e com a “cabeça franca” ouvindo gente dizer que tem que largar tudo para viajar? Sim, ela vai, mas não vai longe. Sem falar que um monte de gente que instiga isso não o faz!

Mais de 5 milhões vivem em situação de pobreza no Brasil, segundo IDH. Foto: Rádio Colonial
Mais de 5 milhões vivem em situação de pobreza no Brasil, segundo IDH. Foto: Rádio Colonial

Tem como viajar e trabalhar ao mesmo tempo?

Sim, tem como conciliar trabalho com viagem! Sem contar as férias (e olha que 1 mês viajando dá pra conhecer muita coisa), existem empresas bem flexíveis, algumas disponibilizam licença não remunerada de 6 meses ao funcionário e outras até liberam seus funcionários para trabalhar em casa, nesse caso é possível trabalhar viajando, isso mesmo, com um notebook você pode reservar 4 horinhas do seu dia naquele café com wi fi para ser produtivo, conhecer outros lugares nas horas que restam e ainda descolar um dinheirinho no fim do mês para poder manter a viagem.

“Ah mas meu chefe não libera!” Que tal então ser um freelancer? Existem diversos sites de trabalho freela, como redatores, designers, tradutores e por ai vai. Dentre os sites brasileiros estão o Comunica Geral, Prolancer e Freela. O seu leque de opções ficará ainda maior se souber inglês, muitos desses sites são americanos e você pode descolar um salário em Dólares ou até Euros. Conheço várias pessoas que fizeram viagens de Volta ao Mundo dessa forma.

“Ah mas não tem nada que eu goste!” Então porque não fazer um intercâmbio para trabalho voluntário? Existem diversos projetos, aqui no Brasil quem mais envia pessoas é a AIESEC, mas você procurar alguns por conta própria, por exemplo, tem um trabalho voluntário que se chama AMA TDP e visa preservar a fauna e flora do Parque Nacional Torres del Paine no Chile ou o o VEDA que tem como objetivo proteger os animais na Bolívia! Podia ficar um tempão aqui falando, mas vou te dar logo uma lapada de voluntariados na América do Sul através do Volunteer South America.

É possível trabalhar e viajar. Foto: The Road Forks Blog
É possível trabalhar e viajar. Foto: The Road Forks Blog

Conclusão

Abrir mão de tudo e viajar não é como brincar no parque de diversões ou ir até a cidade vizinha, é pra quem está pronto para o que estar por vir, sejam coisas boas ou coisas ruins, que inevitavelmente ocorrem em qualquer viagem. Lembre-se, se fosse fácil abandonar tudo e viajar, teria muito mendigo por ai viajando para tudo quanto é lugar, mas tudo que vejo são os mesmos pedindo esmolas nas esquinas de grandes metrópoles!

Foto: Raquel Moysés
Foto: Raquel Moysés

Então, com todo respeito, largue de ser vagabundo! Quer viajar? Não vá pela onda dos outros, trabalhe para isso!

Comente pelo Facebook

comentários

Post anterior

The Ocean is Broken - O Oceano Está Quebrado

Próximo post

Os 10 piores aeroportos do mundo

9 Comments

  1. 8 de janeiro de 2014 at 10:51 — Responder

    Não poderia concordar mais com o seu texto, Leonardo. Está rolando uma ideia romântica de que é muito fácil e legal largar tudo para viajar sem data de volta mas não é bem assim. Como você mesmo disse, se fosse tão legal viver sem dinheiro nenhum os mendigos viveriam felizes e contentes viajando. A realidade de quem viaja sem nada de grana é praticamente “pedir esmola” pra dormir, pra comer e pra se locomover. Viajar é incrível mas depender de outras pessoas para matar a fome não é tão legal quanto possa talvez parecer. Só quem já sentiu fome de verdade sabe do que eu estou falando (e sim, eu já passei por isso).

    Pra quem quer viver uma vida nômade, a melhor dica é fazer o que você sugeriu mesmo. Eu e meu marido estamos nessa onda. Ano passado nós largamos emprego, casa e tudo mais pra viajar por 5 meses. Gastamos as economias e todo o dinheiro que tínhamos juntado. Valeu a pena mas acabou o dinheiro, acabou a viagem. Desde que voltamos só pensamos em como largar tudo de novo, dessa vez em definitivo e com recursos fixos. Já tem quase um ano que estamos mudando de estilo de vida e de carreiras para que possamos viajar sem data pra voltar, de forma responsável, sem passar fome.

    Não quero fazer propaganda (rsrs) mas a nossa solução foi: investimos no nosso blog de viagens, abrimos uma agência virtual de web design , estamos fazendo freelas em alguns sites… Nós temos a vantagem das nossas carreiras serem universais. Eu sou professora de inglês e meu marido é TI. Com isso, buscamos um emprego no exterior e conseguimos. Embarcamos esse mês ainda para o Oriente Médio por 2 anos. Depois disso? É só escolher o próximo país. 🙂

    Um abraço,
    Debora Garcia – Revista de Viagem

    • 9 de janeiro de 2014 at 08:06 — Responder

      Débora! Que demais!!!! Admiro vcs por saírem do óbvio com responsabilidade, é claro! Boa viagem!

  2. Lucas Barreto
    25 de fevereiro de 2014 at 23:27 — Responder

    Realmente, devemos nos preparar muito antes de pensar em ter uma atitude dessas, o mundo é um lugar lindo, só que não, ou melhor nem sempre. As coisas acontecem muito rápido e quando vc vê tem que tomar atitudes drásticas para voltar para casa, pedir esmola é o de menos existem coisas muito piores. Existe muita coisa ruim por aí, e o pior, muita gente que sente prazer em fazer o mal, enfim…
    Mas, nem tudo são trevas, eu gosto de pensar que pessoas boas existem, inclusive já tive o prazer de conhecer muitas delas.
    A primeira coisa que devemos fazer ao pensar em sair nessa aventura é praticar o desapego, pode parecer fácil desapegar do seu trabalho e do seu dinheiro, mas quando pensamos um pouco mais fundo, sem trabalho e sem dinheiro, necessariamente estaremos sem conforto, sem garantias de comer, dormir em locais apropriados, sem certas diversões que estamos acostumados, etc., ou seja sem futuro algum definido. Então um exercício legal é começar a desapegar da própria preguiça e do conforte de um futuro “convencional”. Uma vez desapegado vc estará mais preparado.
    Há métodos para viajar pelo mundo, a amiga de cima deu dois deles, 1) vc trabalha e junta dinheiro para passar um periodo sem trabalhar, 2) Vc tem um emprego “universal”: TI, professor de ingles, etc. e se prepara para arrumar grana independente do local (eu sou de TI, estou me preparando para isso) 3) Vc é rico e não precisa trabalhar 4) Trabalho voluntário. Isso mesmo trabalho voluntário.
    Geralmente trabalho voluntário em outros locais vc recebe comida e local para dormir além de aprender muito de muitas coisas. E são trabalhos que todos com boa vontade podemos fazer e não são poucos, seja ajudar uma reforma de uma casa seja ajudar pessoas carentes, trabalho voluntário não falta. E GERALMENTE não demandão muito tempo do seu dia como um trabalho “convencional”, logo podendo ser conciliado com outras atividades. Existem sites que juntam pessoas precisando de ajuda e pessoas dispostas a ajudar um deles que gosto muito é o http://www.workaway.info/, vale a pena checar. Posso estar falando uma m*** muito grande aqui neste texto, mas é possível viajar com e sem dinheiro, depende do quanto vc consegue desapegar. O meu conselho para quem quiser ouvir é: seja sincero com vc mesmo antes de tomar uma atitude, pois, a busca é sua, a felicidade ou sofrimento será seu e só vc vai sentir as consequências.

    • 26 de fevereiro de 2014 at 22:44 — Responder

      Não falou merda nenhum Lucas, concordo com tuas palavras. Quem faz isso tem que ter em mente o que pode vir, seja consequências boas ou ruins ocasionadas pelos próprios atos!

  3. 26 de março de 2014 at 18:36 — Responder

    ótimo blog, ótima iniciativa! Já estou seguindo, aproveite e visite o meu blog! 😉

  4. 29 de julho de 2014 at 17:37 — Responder

    Fala Leo !

    É bem por aí, tem alternativas mil pra seguir o sonho, vale ao menos tentar !

    Eu larguei tudo há 3 meses e estou dando uma volta ao mundo com minha companheira.. Parece tudo bonito, mas o processo de largar o emprego foi complexo pra não parecer loucura e se queimar, conversar com os pais não é fácil, perder eventos dos amigos como casamentos é difícil, saudade das pessoas…

    Por outro lado você tem, em resumo, o grande privilégio do tempo. Posso escolher onde ir, em qual livro, documentário ou artigo investir meu tempo. E aprender coisas que o trabalho te consume e não deixa espaço pra fazer..ou pelo menos não o trabalho de escritório de 8h por dia que se estendem por 10, 11, 12…

    Ah, um pedido pra Débora, deixa aí o link pra gente ver teu blog e trabalhos, é um belo exemplo 🙂

    Abração !

  5. Lays Gardênia
    24 de outubro de 2014 at 18:11 — Responder

    Concordo com o que você disse, tem muitos que viajam as custas dos outros, se aproveitando da bondade. E isso está banalizando o que realmente o mochileiro de fato faz. Quer viajar, desapegar das coisas ? faça. Mas não se aproveite do resto de bondade que existem nas pessoas.
    Adoro seus posts, parabéns. Me identifico muito com seus relatos.

    • 25 de outubro de 2014 at 00:54 — Responder

      Realmente Lays, é complicado a situação! Que bom que gosta do blog, fico feliz! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *