Inicio »América do Sul»Peru»Cheguei em Arequipa

Cheguei em Arequipa

0
Shares
Pinterest Google+

Arequipa é uma das melhores cidades que visitei nessas viagens, ela é bem aconchegante e com pessoas bem receptivas, vale a pena uma visita. A cidade tem muitas coisas para fazer, mas minha estadia lá foi mais pra descansar.

Como chegar em Arequipa?

Eu cheguei em Arequipa vindo da cidade de Arica no Chile. Vale lembrar que Arequipa não fica na fronteira com o Chile então é uma viagem meio longa até lá. Primeiro tem que atravessar a fronteira e chegar até a cidade de Tacna e de lá pegar um ônibus até Arequipa. A passagem não é cara, só não me lembro quanto paguei por ela.

Arequipa, Arequipa, Arequipa…

Cheguei em Arequipa era umas 4 ou 5 da manhã. Lá eu não tinha a mínima ideia de onde ficar e foi um taxista que me deu a dica e nos levou até um hostel que ficava na esquina da Calle Luna Pizarro com 28 de Julio. Quem ficava lá era de uma senhorinha muito velhinha, a Olga, a chamávamos carinhosamente de “Olguita”, ela morava sozinha naquele casarão que servia de albergue e somente a tarde vinha uma moça para ajudá-la. Lá ficamos em 2 quartos com 3 camas em cada + água quente em cada quarto, foi muito bom.

Arequipa (1)

Depois de botar o sono em dia e perder metade do dia nós saímos para conhecer a cidade e comer, claro. Na mesma rua do albergue havia um restaurante de frutos do mar chamado de “Ajo”, comida deliciosa e barata, e foi lá que tomei a minha primeira Inca-Kola, que é tipo a Coca-Cola deles, só que amarela e com gosto de tu-ti-fruti. Dali fui até o principal ponto turístico de Arequipa, a Plaza de Armas. A Praça é imensa, tem uma grande fonte de água no meio e na frente tem uma Catedral linda e gigantesca. Nessa praça também tem diversas lojas, entre mercadinhos, lojas de souvenir, restaurantes e agências de passeio.

Arequipa (2)

Arequipa (3)

Ainda na praça, eu entrei na Catedral para ver como era, e a beleza que havia por fora se multiplicava por dentro, tudo muito lindo, e para entrar lá é de graça, mas nem sempre ela fica aberta. Lá eu conheci uma Suíça que estava fazendo trabalho voluntário em Lima no Peru e tinha tirado alguns dias de férias para conhecer o país, fomos então comer alguns tacos e tomar um chazinho no terraço de um prédio com uma bela visão para o pôr do sol, algo que deixaria até a Rainha Elizabeth com inveja.

Arequipa (4)

Arequipa (9)

Arequipa (10)

Em Arequipa também aproveitei para conhecer a primeira baladinha peruana, fui até uma que se chamava “Forum”, uma boate, que em particular eu gostei muito. Rolava todos os tipos de músicas, desde o reggeaton até as famosas brasileiras que tocavam nos intervalos. O amibente também era magnífico, tinha uma cachoeira, muito espaço, área para pista de dança e mesas além de vários bares espalhados pela casa, enfim o que aconteceu nessa noite fica em off!

Arequipa (5)

Arequipa (6)

Arequipa (7)

Um dos principais que se fazem por lá é para se visitar o Canion del Colca e ver o voo do condor (pássaro) pela manhã. O canion fica um pouco longe de Arequipa e como eu já estava cansado pra caramba decidi escolher um passeio mais leve, Rafting pelo Rio Chilli e você pode conferir esse passeio clicando aqui. Após esse passeio nós conhecemos uma holandesa chamada Femke que passou a tarde conosco andando pela cidade e em busca de comida barata, nessa busca eu conheci o famoso Aguadito, como aqui no Brasil há churrascarias, lá há “pollerias” (Pollo = Frango) que são estabelecimentos especializados em frango, como estava quase sem dinheiro optei por pegar um prato mais baratinho, o tal do Aguadito, que é uma sopa verde com uns pedaços de frango dentro, que nem de longe chega perto da nossa Canja de Galinha. Não vou generalizar, mais aquele parecia estar bem cru, então pra evitar uma salmonela decidi buscar outro local para comer. Buscando outros lugares eu conheci o “Chaufa”, uma rede de comidas japonesas que há praticamente em todo o Peru, suas especialidades são o Arroz Chino e o Pollo Saltado (Yakssoba), comi um prato metade Arros Chaufa, metade Tallarin Saltado por 10 soles peruanos, e era um prato imenso e delicioso, bom e barato, o que ajudou na economia em uma cidade turística e um pouco cara com relação a comida.

Arequipa (8)

Como fiquei poucos dias em Arequipa, não deu para fazer um turismo profundo na cidade, mas conheci boa parte e adorei, aconselho muito conhecer essa cidade, fica a minha dica!

Comente pelo Facebook

comentários

Post Anterior

Diferença entre Albergue e Hotel!

Próximo Post

Não esqueça o adaptador de energia!

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *