Home»América do Sul»Bolívia»Parque Cretáceo em Sucre

Parque Cretáceo em Sucre

0
Shares
Pinterest Google+

Sucre, Bolívia, é conhecida como Ciudad Blanca, isso porque a maioria dos seus edifícios são da cor branca. Cheguei lá após uma longa viagem de ônibus e fui dar uma volta com meus amigos para conhecer um pouco da cidade e ir comer alguma coisa. A cidade tem algumas construções bem históricas mas, uma das principais atrações de Sucre não são seus restaurantes com comidas típicas e nem suas praças aconchegantes e sim o Parque Cretáceo.

Sucre é conhecido por ter um dos melhores sítios paleontológicos do mundo e aquela região no passado foi habitada por diversos tipos de dinossauros. O Parque Cretáceo  fica um pouco distante da cidade, em uma área de pedreira no qual foi o motivo da descoberta de pegadas de dinossauros naquela região. Na cidade de Sucre mesmo sempre passa um trailer que te leva ao parque e ele não é nada discreto, é um carro aberto com vários bancos e todo estampado de dinossauros nas laterais, mas esse carro parte de hora em hora então é bom encontra-lo mais cedo. Como perdemos o transporte nós conseguimos uma carona com o Sr Jorge que foi bem paciente e nos levou para dar uma volta em Sucre e conhecer o parque, que é bem legal por sinal, já na entrada há um imenso Pterodáctilo.

Bom, vale lembrar que lá não é nenhuma obra A La Jurassic Park de Steven Spielberg mas que é surpreendentemente fantástico. A entrada no parque é de B$20,00 o que em real vai dar em torno de R$5,00, muito barato pela estrutura do parque, acho que deviam cobrar mais, principalmente de estrangeiros, assim poderiam manter o parque em bons cuidados. Logo no começo a gente espera um pouquinho em uma espécie de pracinha até que aparece um guia que vai te explicar como funciona as instalações e te leva a dar um passeio pelas trilhas mostrando as espécies de dinossauros que o parque possui e passando pra gente suas principais características.

Uma das coisas mais legais é que lá conta com réplicas de dinossauros em tamanho real, ou seja, dá pra ter uma baita noção do tamanho daquelas criaturas, e outra coisa que faz o diferencial lá também é que existem caixas de som escondidas em cada dinossauro e nelas são transmitidas os sons que eles faziam, o que dá uma realidade a mais pro local. Uma curiosidade também é que apesar de ser um ótimo sítio paleontológico, no lugar nunca foi encontrado uma arcada de dinossauro, nem um ossinho se quer foi achado naquelas bandas, apenas pegadas, e cada vez mais é encontradas novas pegadas em camadas de rochas por lá.

Por falar em pegadas vale também lembrar que lá tem um mirante e nesse mirante é possível ver com uma espécie de binóculos o grande paredão vertical com de 1500×110 metros de extensão com os rastros de vários dinossauros que viveram naquela região. Lá já foram encontradas mais de 5000 pegadas de diversas espécies dos répteis pré-históricos, todas do final do período cretáceo, bem pertinho do tempo em que eles foram extintos da terra há cerca de 70 milhões de anos atrás. Esse enorme paredão surgiu a muito tempo atrás, quando toda aquela área ficava pertinho do mar, com a constante movimentação da cordilheira dos antes aquela região subiu muito, ficando bem longe do nível do mar e deixando exposto todas as pegadas.

Mas o parque ainda tem mais coisas além de pegadas e esculturas de dinossauros, ele conta também com um pequeno museu, aonde está exposto um grande fóssil de um Tiranossauro Rex além de vários outros itens fossilizados e grandes painéis expostos ao público e com muitas informações sobre várias espécies. Lá também possui uma biblioteca bem didática destinada ao público infantil, um pequeno cinema, restaurante e uma lojinha de souvenir, pra quem gosta de lembrancinhas vem ser uma boa, lá tem camisetas, pequenas estátuas, chaveirinhos e muito mais. então fica ai a nossa dica, se você vai a Bolívia e vai passar pela cidade de Sucre, não deixe de conhecer o Parque Cretáceo Boliviano.

Comente pelo Facebook

comentários

Post anterior

Catamarã em Angra dos Reis

Próximo post

Tô Longe de Casa #1 | Foz do Iguaçu

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *